Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

BA: secretário da Agricultura fala sobre pecuária

postado em 02/09/2010

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A ABEXPO (Associação Baiana dos Expositores), a ACCOBA (Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos da Bahia), o Sistema FAEB/SENAR e o SEBRAE, realizaram no Bahia Othon Palace, nos dias 23 a 25 de agosto de 2010, em Salvador/BA, o Congresso Internacional da Produção Pecuária, no qual a AgriPoint esteve presente. No decorrer do evento ocorreram palestras e foram expostos trabalhos científicos em sessões na forma de posteres. A AgriPoint entrevistou Eduardo Salles, secretário da Agricultura do Estado da Bahia, que falou sobre a pecuária baiana, abertura de novos frigoríficos e estruturação das cadeias.

Destaques da entrevista

"Nós estamos tentando estruturar a pecuária baiana porque hoje há discrepâncias muito grandes em relação a pecuária no nosso estado. Nós consumimos 1,6 bilhões de litros de leite e produzimos 950 milhões de litros. Na verdade, nosso rebanho leiteiro é o 3º maior rebanho leiteiro do país e nós estamos em 23º lugar em produtividade leiteira por vaca ordenhada. A média geral de produção dos nossos produtores de leite é de 550 litros por vaca ordenhada/ano".

"Na pecuária de corte hoje nós temos um exemplo de venda, principalmente na raça Nelore, pois vendemos para o Brasil inteiro e para o mundo animais de altíssima qualidade por preços interessantíssimos e ao mesmo tempo a qualidade das carcaças gerais dos nossos animais são muito ruins ainda. Temos muito a melhorar. Na ovinocaprinocultura também. Eu tive a oportunidade de participar da Feira Internacional de Ovinos e Caprinos este ano e de 6 premiações da raça Dorper, nós da Bahia levamos 5, pois temos uma genética apurada e do mais alto nível, mas ao mesmo tempo temos um frigorífico em Juazeiro especializado em ovinos e caprinos que pode fechar as portas por falta de animais que apresentem uma carcaça ideal para abate".

"Essas discrepâncias incentivam uma estruturação importante na pecuária do Estado da Bahia e nós estamos focando nessa estruturação para os próximos anos através de uma série de ações. Primeiro a parte genética, que pretendemos através de coleta de sêmen fazer inseminação via IATF para os pequenos produtores. Nós precisamos levar a tecnologia de ponta e a genética até eles".

"Nós tínhamos 30 frigoríficos no Estado da Bahia que não davam conta da demanda da nossa pecuária. Tínhamos que mudar essa realidade, por isso terminamos de fazer uma planta específica que vai de 30 a 100 animais/dia e está sendo disponibilizada para todas as prefeituras e empresas que queiram implantar frigoríficos no estado para que a gente possa avançar. Conseguimos também através de uma parceria com Ministério da Agricultura e com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, 15 novos frigoríficos para a Bahia, aumento de 50% no número de frigoríficos do estado".

"Em novembro batemos um recorde, conseguimos 98% de vacinação no Estado da Bahia, recorde de vacinação contra a aftosa. Queremos extinguir agora a Zona Tampão na divisa com o Estado do Piauí. Estamos fazendo também compra de veículos, contratação de técnicos e o georeferenciamento de todas as propriedades. Começamos a fazer o GTA (Guia de Trânsito Animal) eletrônico e já temos um número significativo. Enfim, temos avançado em todos os sentidos e vamos buscar cada vez mais estruturar esse setor tão importante para a Bahia".



Equipe AgriPoint

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Evándro d. Sàmtos

Guarulhos - São Paulo - Revenda de produtos
postado em 02/09/2010

Iniciativas como a do secretario Eduardo Salles,assim como do governo da Bahia precisam ser elogiados.

A indústria frigorífica naquele estado é muito incipiente,os empresários deste setor estão ainda bastante atrasados em relação aos estados tradicionalmente produtores de carnes bovinas.

Entendendo que toda a indústria frigorífica do país,esta no século passado,tanto no modelo,quanto em gestão,administração e comercialização.

Sugiro então,ao secretario que dê continuidade a esta empreitada,dando rumo aos empresários do setor neste estado de forma diferente do usual.Que possam iniciar,ou transformar,seus frigoríficos com enfoque,raciocínio,gestão,administração e comercialização no modelo de INDÚSTRIA DE ALIMENTOS,e que,dentro deste raciocínio empreendam a agregação do valor de MARCA aos seus produtos.

Sugiro ainda,dentro do raciocínio a cima,que estes empresários procurem desenvolver produtos,que normalmente têm baixa agregação de valor,não é tão difícil,e existem consultores que podem auxiliá-los.

Desejo sorte e determinação.

Saudações,

EVÁNDRO D. SÀMTOS.

Marita Vidal

Arapari - Pará - Produção de ovinos
postado em 02/09/2010

A BA realmente está se destacando na pecuária. O governo vem pensando a tempos em como melhorar a agropecuária e parece que os resultados estão aparecendo.

Paulo Carneiro da silva Sobrinho

Pedra - Pernambuco - Indústria de laticínios
postado em 03/09/2010

Sugiro ao Senhor Secretário da Agricultura que procure desenvolver formas de capacitar e convencer os criadores a fazerem reserva estratégica de alimentos, visando eliminar o efeito sanfona nos animais de corte e a queda na produção de leite, que ainda é muito significativa em todas as bacias leiteiras do nosso estado. O cultivo da palma adensada também faz parte do processo de consolidação da atividade.

Henrique Costales Junqueira

Castro - Paraná - Produção de leite
postado em 03/09/2010

É inegável o potencial de produção pecuária da Bahia. Trabalhei por duas ocasiões nesse estado onde deixei vários amigos comprometidos com a sua produção leiteira. A capacitação do produtor e a coordenação das cadeias de comercialização são os pontos fundamentais para o sucesso das cadeias produtivas baianas. Sistemas que contemplem a sustentabilidade econômica através de bons projetos técnicos e no comprometimento entre as partes poderão levar a produção baiana ao patamar que o seu potencial pode sustentar. Invistam nas pessoas, técnicos e produtores. Boa sorte ao Governo do Estado da Bahia e aos colegas do Sudoeste, Recôncavo e Sertão. Abraço a todos.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade