Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Bayer deixa de produzir vacinas contra aftosa

postado em 03/02/2010

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A alemã Bayer deixou de produzir vacinas contra febre aftosa no Brasil. Um dos mais lucrativos segmentos do mercado de saúde animal do país passa a ter agora apenas quatro fabricantes autorizados pelo Ministério da Agricultura: Merial, Pfizer , Vallée e Intervet/Schering-Plough, que têm capacidade instalada suficiente para suprir a demanda nacional pela vacina.

Em nota, a empresa informa que "depois de uma profunda análise de mercado, a Bayer decidiu fechar a fábrica de Porto Alegre, que produzia, exclusivamente, vacinas contra febre aftosa. A principal razão foram os crescentes custos de produção das vacinas nessa fábrica".

Apesar de deixar de fabricar a vacina, a empresa pretende continuar na comercialização do produto. Poderá vender vacina fabricada por outras empresas no Brasil ou em outros países. Apesar de alegar custos elevados, a decisão da Bayer pode estar relacionada ao fato de a demanda por vacinas contra aftosa no Brasil estar em queda. O Ministério da Agricultura já informou que para 2010 a necessidade será de 365,3 milhões de doses, 5% a menos do que no ano passado, já que Paraná, São Paulo e Tocantins decidiram eliminar uma das etapas de vacinação neste ano.

A decisão da Bayer, no entanto, não deve provocar uma queda na oferta de vacina. A unidade de Porto Alegre tinha capacidade para produzir pouco mais de 100 milhões de doses por ano, sendo que a capacidade instalada de toda a indústria nacional é de 500 milhões de doses. Na prática, as quatro empresas que se mantêm na atividade têm juntas um potencial produtivo de 400 milhões de doses, ainda assim acima da demanda sinalizada pelo governo para este ano.

Além disso, existem outros grupos que vão em sentido oposto à Bayer e apostam no segmento: a Biovet, a também paulista Ouro Fino e a Inova Biotecnologia Saúde Animal - empresa constituída pelo Eurofarma Laboratórios e a Hertape Calier Saúde Animal. Com as três novas fábricas, a capacidade da indústria nacional chegaria a 600 milhões de doses, já deixando de fora as 100 milhões que não serão mais produzidas pela Bayer. Além delas, há a argentina Biogénesis-Bagó, que conseguiu do Ministério da Agricultura autorização para vender no mercado brasileiro a vacina contra aftosa fabricada na Argentina.

A matéria é de Alexandre Inacio, publicada no jornal Valor Econômico, adaptada e resumida pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

fabricio pereira frota

Porto Nacional - Tocantins - Instituições governamentais
postado em 12/02/2010

Caros redatores do Farmpoint.

Venho informar-lhes um pequeno lapso na matéria acima, pois os produtores rurais usam deste veículo idôneo e tão informativo (o qual acesso e uso constantememte de tais informações) e desta forma poderiam desprender um informação incorreta do mesmo.


Certo de vossa compreensão informo-lhes:

o estado do Tocantins não eliminou uma das etapas de vacinação neste ano.
O que ocorreu foi que o estado conseguiu galgar mais um degrau na luta contra a Febre Aftosa, e obteve assim uma sistemática de vacinação diferente, onde em Maio serão vacinados os todos os animais (independente de faixa etária).
Já em novembro serão vacinados os animais compreendidos entre 0 a 24 meses ( e declarados na campanha de maio) mais os animais nascidos entre as campanhas.

Agradeço-lhes e demosntro minha total satisfação com este importante veículo ao público técnico e ao produtor rural.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade