Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Brasil e Argentina criam Conselho que promete acabar com entraves em exportações

postado em 02/08/2011

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Brasil e Argentina deram mais um passo para reduzir as barreiras que prejudicam o comércio entre os dois países. As presidentes Dilma Rousseff e Cristina Kirchner instalaram, na última sexta, dia 29, um conselho de empresários para integrar e fortalecer as exportações regionais.

Cristina Kirchner foi recebida pela presidente Dilma Rousseff no Palácio do Planalto. Elas oficializaram o Conselho Empresarial Brasil-Argentina, mecanismo que promete acabar com problemas como a demora que fabricantes brasileiros de máquinas, móveis e calçados vêm enfrentando para receber as licenças de importação. Neste mês, o governo argentino liberou os carregamentos de alimentos perecíveis, mas, segundo os industriais, balas, chocolates, massas e biscoitos continuam retidos nos estoques.

O Conselho vai contar com aproximadamente 10 empresários de cada país. Do lado brasileiro, vão participar representantes dos setores calçadista, têxtil, automotivo, de serviços e da construção civil. A intenção é que, ao aproximar as empresas, Brasil e Argentina possam reduzir os entraves comerciais.

"Com uma integração dessa magnitude, é impossível retroceder. Diante dela, os problemas que surgem aqui e ali - e que estamos resolvendo - são de pouca monta" - afirmou a presidente Dilma Rousseff. Cristina Kirchner ressaltou que a união dos empresários vai possibilitar a análise das cadeias produtivas dos dois países, para que estes setores possam se integrar e fortalecer a competitividade do Brasil e da Argentina no mercado internacional.

"Essa união vai servir para acelerar os processos de integração produtiva e analisar as cadeiras de valor, bem como fortalecer e integrar essas cadeias para que Brasil e Argentina tenham mais competitividade no mercado global" - avaliou a presidente argentina.

As informações são do Canal Rural, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

valmir leandro schatz

Itapiranga - Santa Catarina - Revenda de produtos agropecuários
postado em 13/06/2012

dentre os representantes brasileiros quem vai representar a classe produtiva , principalmente do leite que é o centro das discussões hj, quem defende nossa fragil cadeia produtiva frente a possivel enxurrada de produtos lacteos que poderá ser importada????????

Guilherme Alves de Mello Franco

Juiz de Fora - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 15/06/2012

Prezados Senhores: resta saber para quem os entraves de exportação vão ser dissipados -para nós ou para os argentinos? Se mantida a tradição dos últimos dez anos, para eles.

GUILHERME ALVES DE MELLO FRANCO

FAZENDA SESMARIA - OLARIA - MG

=HÁ SETE ANOS CONFINANDO QUALIDADE=


Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade