Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

CNA espera votação do Código Florestal ainda esse ano

postado em 12/11/2010

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A presidente da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), a senadora Kátia Abreu (DEM-TC), cobrou do presidente do Câmara dos Deputados, Michel Temer (PMDB-SP), a votação do projeto de lei do Código Florestal ainda neste ano. "No Congresso Nacional, nos acordos políticos, não existe papel, existe palavra. E nós confiamos no presidente da Câmara que vai cumprir sua palavra mesmo porque hoje ele é o vice-presidente eleito do Brasil", disse a senadora, durante palestra promovida pela Feira Internacional da Cadeia Produtiva do Leite (Feileite), em São Paulo.

De acordo com Kátia Abreu, houve um acordo entre a bancada ruralista no Congresso Nacional e a base governista para que o Código Florestal voltasse à pauta após as eleições, mas ainda em 2010. A senadora aproveitou sua palestra na tarde de hoje para convocar os produtores rurais presentes para irem à Brasília pressionar os parlamentares durante a votação do projeto. A senadora argumentou que a presença dos produtores é importante para convencer os parlamentares de que "eles não querem destruir o meio ambiente". "A gente quer a atualização do Código Eleitoral. Não estamos tratando de desmatamento", afirmou.

No evento, Kátia Abreu lembrou que houve um "boom" na expansão da produção rural do País no período na crise do petróleo, na década de 1970. Segundo ela, nesse período, houve incentivos do governo federal para fazer com que o Brasil se tornasse auto-suficiente na produção agrícola e deixasse de ser dependente apenas da exportação de café na sua balança comercial. "Ninguém construiu essa riqueza sem desmatar. Fomos estimulados ao desmatamento. E não fomos omissos quando o Brasil mais precisou", analisou.

A presidente da CNA disse que é preciso vencer alguns preconceitos da sociedade que trata o produtor rural como desmatador e que a questão ambiental no País é conduzida por "componentes ideológicos fundamentalistas". Para ela, o silêncio dos produtores rurais fez com que os ambientalistas ganhassem espaço junto à opinião pública, ganhando força e se transformando em "monstros". "Nós sabemos que fazer mal ao meio ambiente é fazer mal à nossa propriedade", disse.

Na opinião de Kátia Abreu, o relatório do deputado Aldo Rebelo (PC do B-SP) sobre o Código Florestal não é o ideal para o setor, mas é o possível. Ela disse que conta com o apoio da presidente eleita Dilma Rousseff para a aprovação da legislação, porque quando ministra (da Casa Civil), Dilma sentiu na pele o exagero da burocracia e do debate ideológico. "Ela sofreu isso na pele com o PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e as usinas que deixaram de ser construídas. Tenho certeza que fará o necessário para o País. Atualizar o Código Florestal e regularizar o produto de maior importância para a economia nacional", afirmou.

A matéria é de Daiene Cardoso, publicada na Agência Estado, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

José Ricardo Skowronek Rezende

São Paulo - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 12/11/2010

Espero que o acordo político seja respeitado e o congresso vote ainda este ano o projeto de revisão do Código Florestal.

Durval Ribeiro de Gouveia Junior

Barra do Garças - Mato Grosso - Produção de gado de corte
postado em 15/11/2010

Todos nós, produtores responsáveis, esperamos pela apropvação deste código. Precisamos trabalhar dentro da regularidade para continuar a produzir o alimento para todos, inclusive para os ecobabacas de plantão.

Leonardo Siqueira Hudson

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 17/11/2010

O maior celeiro do mundo nâo pode ficar refem da burocracia e da açâo de interesses externos (poderemos perder o bond da história).
Necessitamos a urgente regularizaçâo do código florestal, que permita aos produtores trabalhar com tranquilidade dentro do parâmetros da lei (e com possibilidade de acessar financiamentos).
Quem conhece o passado e o agronegocio deste país sabe as enormes dificuldades que passaram e passam nossos heroicos produtores.
O desmatamento do passado foi necessário e estimulado pelo governo.
Hoje com as tecnologias disponiveis (universidades, embrapa,consultorias,etc) temos todas as condições para ampliar a produção de modo sustentável.
Precisamos ampliar a divulgaçâo de tecnologias e linhas de crédito acessiveis e compativeis com a realidade do agronegócio.
Divulgação da reforma de pastegens utilizando as técnicas da ILP, ILPF precisam sair do papel.
Deus fez a sua parte (terra farta,água,clima), precisamos da ação dos homens ( e mulheres com kátia Abreu).

Leonardo Hudson
Exagro
Excelêcia em Agronegócios.





Luciano Andrade Gouveia Vilela

Araguatins - Tocantins - Produção de gado de corte
postado em 17/11/2010

É muita fé e pouco conhecimento do status político do nosso país acreditar que vai ser possível esse ano. Isso não vai ser votado em 2010 nem que a vaca gir dê leite sem bezerro!

ANTÔNIO CARLOS PIERONI

Cuiabá - Mato Grosso - OUTRA
postado em 18/11/2010

vai sim, é preciso.

ROBERTO FOLLEY COELHO

Campo Grande - Mato Grosso do Sul - Produção de gado de corte
postado em 18/11/2010

O Produtor Rural e´o melhor parceiro na conservaçao dos recursos naturais. Reformular o Codigo Florestal é a açao mais efetiva para garantir o Brasil como o campeaõ de Biodiversidade e de Celeiro de Alimentos e Energia Renovavel.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade