Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Código florestal: reunião foi palco de forte discussão

postado em 30/09/2009

15 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A primeira reunião da comissão especial do novo Código Florestal foi realizada ontem (29), com a presença da bancada ruralista e parlamentares ambientalistas. A reunião foi marcada por várias discussões e gritarias entre os envolvidos.

Os ambientalistas protestaram contra a formação da chapa que conduzirá os debates sobre a revisão das regras ambientais do país. Com o aval do presidente da Câmara, Michel Temer (PMDB-SP), os ruralistas incluíram o deputado Sarney Filho (PV-MA) como 1º presidente da comissão. O líder dos "verdes", Edson Duarte (BA), rejeitou qualquer acordo para legitimar a direção dos trabalhos. "Todo mundo já sabe o que se quer aprovar aqui. E não vamos participar desse teatro", gritou. "Não fiz acordo com ninguém, não indiquei ninguém, e o deputado Sarney também não concordou com isso".

Os ruralistas defenderam a suspensão da sessão de instalação. "Vamos ter calma, buscar o acordo", pregou Waldemir Moka (PMDB-MS). Mesmo assim, a manobra foi interpretada pelos ambientalistas como uma forma de "tratorar" a oposição à revisão do Código Florestal. Na prática, o embate reproduziu as divergências inconciliáveis dentro do governo entre os ministros Carlos Minc (Meio Ambiente) e Reinhold Stephanes (Agricultura).

Os ambientalistas ficaram irados por causa do impasse, e montaram uma "blitz" com parlamentares de esquerda ligados a movimentos sociais para questionar a decisão. Sob pressão dos ruralistas, o presidente da reunião, Valdir Colatto (PMDB-SC), decidiu encerrar a sessão.

A nova manobra desatou protestos e acirrou os ânimos dos dois lados. Sob ameaças de "denúncia internacional" da manobra pelos ambientalistas, os ruralistas reagiram afirmando que as indicações dos nomes da chapa foram feitas em reunião prévia dos líderes com o presidente Michel Temer. Aos gritos, Genoino esbravejou e passou a acusar os ruralistas de "golpe" na comissão. "Aqui, não é um fazendão. Vocês não estão tratando com boi", gritou. O deputado Luis Carlos Heinze (PP-RS) levantou e passou a insultar Genoino: "Sem vergonha. Querem vender o Brasil para essas ONGs internacionais". Sob os holofotes, e aos berros, Genoino retrucou: "Aqui não passa trator. Os líderes não foram ouvidos. É bom para a imprensa registrar". O tumulto contagiou todos os 20 deputados presentes. "Você chegou agora", berrou Marcos Montes (DEM-MG) para Valente. "Esse presidente interino cassou a palavra de um líder", retrucou o líder do PSOL. "Ele se exaltou para aparecer na TV. A minoria tem que respeitar a maioria", gritou Valdir Colatto.

A reportagem é de Mauro Zanatta, para o jornal Valor Econômico, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

V P DeOLiveira

Olathe - kansas - Estados Unidos - Produção de gado de corte
postado em 30/09/2009

É realmente uma vergonha nossa politica, estes traidores que querem o regresso de nossa nacao nunca deveriam ter sido eleitos representantes de nosso povo, querem entregar nosso pais estes usurpadores internacionais a estas ong´s que querem ditar ordens aqui debaixo de nosso nariz. Quando sera que nosso governo vai acordar desta cegueira? Sera que estao todos comprados pelo poder do dinheiro destas organizacoes? Sera que estao infiltrados a tal ponto de perdermos o controle de nossa nacao?

Infelizmente nao vejo um futuro brilhante para nossos decendentes pelo simples fato de nossa elite sempre achar que tudo que é estrangeiro é melhor. Nossas riquezas minerais estao praticamente nas maos de organizacoes internacionais. Querem a qualquer custo nos lavar a Amazonia e todo seu potencial, pois sabem que e a parte mais rica de nosso territorio. querem travar nosso progresso a qualquer custo, trabalham ardorosamente para que nao possamos nos desenvolver, bloqueando nossas estradas, nossos projetos hidreletricos, nossas ferrovias, em fim todo tipo de retrocesso planejado contra nosso pais. E muito dinheiro que entra em nossas fonteiras sem nenhum conhecimento de nosso governo.

Por onde anda nossos representes? Brigando. E muita briga, e feia, que belo exemplo de cidadania para nossos jovens. Sera que nossa nacao sera respeitada como uma grande nacao algum dia? Eleicoes no proximo ano minha gente, sera que podemos fazer uma profunda reflexao antes de nosso voto, nosso BRASIL pede socorro, sera que podemos ajuda-lo? pelo menos voce, que e brasileiro de verdade, nao deixe que acabem com nosso querido BRASIL.

Abracos a todos os brasileiros de verdade
Vacir DeOliveira

Joseph Crescenzi

Itaipé - Minas Gerais - Produção de café
postado em 30/09/2009

Planeta Nossa Terra = APP - Sim o planeta todo é APP

Use o que precisa de forma consciente, proteje o resto

Jucelino dos Reis

Cascavel - Paraná - Produção de gado de corte
postado em 30/09/2009

Os comunas nunca criaram uma galinha. Entretanto, querem legislar em assuntos que não têm o menor conhecimento. O quê esses comunas sabem sobre as áreas acidentadas de MG, PR, SC e RS , onde se localizam milhares de propriedades, que conforme a lei atual ficariam completamente inviabilizadas ?, em razão dos aclives acima de 45%, topos de morro, várzeas, fundos de vale, matas ciliares, reserva legal. No Oeste catarinense não sobra 10% das propriedades. No Rio Grande do Sul, toda a zona arrozeira terá de ser abandonada, pois a rigor toda a região é varzea. Esses deputados não têm o direito de legislar sobre assuntos que desconhecem. A rigor, a legislação ambiental deveria obedecer critérios municipais, posto que as diferenças são gritantes de um município para outro.
Penso que nós produtores temos que nos mobilizar, no sentido de pressionar os deputados a serem no mínimo coerentes.

Luciano Andrade Gouveia Vilela

Araguatins - Tocantins - Produção de gado de corte
postado em 30/09/2009

Reformular essa antiguidade de forma inteligente e técnica é a única forma da produção agropecuária continuar existinto. Caso contrário feche as porteiras e é o fim da produção. Ninguém aguenta mais tanto papel, tanta burcracia, e muitas vezes antagônicas. É preciso lembrar que qualquer nova regra, e mesmo a atual, deve reger o sistema produtivo independente do viéz político do produtor, se representado pela bancada ruralista ou pelos " movimentos sociais". Estou dizendo isso por que aqui em Araguatins TO que tem mais de 20 projetos de assentamentos, e eles põe fogo a todo instante, nesta época do ano, criando um ambiente de terror. Consultando o Naturatins observamos que são irrizórios os pedidos de licensa para tal fim. A lei que já existe e estamos todos vendo que precisa melhorar, não está sendo aplicada com isonomia. Se não tem condições de ser aplicada, não deveria existir; se não está sendo aplicada por benesse política os responsáveis deviam ser responsabilizados, demitidos, e se políticos, cassados por facilitar o não cumprimento da lei.
É melhor que eles briguem agora lá em Brasilia do que nós passemos a brigar aqui no Brasil Real.
Abraços a todos

walterlan rodrigues

brasilandia - Mato Grosso do Sul - Produção de gado de corte
postado em 30/09/2009

Depois de uma reunião desta eu fico a me perguntar: Onde é que vamos parar com este Código ambiental? Eu gostaria de saber em que pé está o Código Florestal que o Estado de Santa Catarina promulgou. Será que não é hora de começarmos fazer pressão a exemplo do que faz o MST? Parece-me que aqui no Brasil é só a pressão que resolve.
Eu acho que nós vamos levar chumbo grosso nesta votação. Está na hora de nossa classe se mobilizar. ACORDA BRASIL.

Marcos Salazar de Paula

Lima Duarte - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 30/09/2009

Tanto ambientalistas doidões como a esquerda burra sempre esconderam suas incapacidades de convivência democrática e de revisar seus conceitos atrás de "causas nobres". Não entendem, ou melhor, nunca querem entender outros argumentos que não os próprios. Vivem não do trabalho, mas de suas ideologias paleolíticas.

Temos que levar o foco das políticas ambientais para o que realmente é importante para o meio ambiente, aquecimento global e redução de emissões. Cana e eucalipto, dois vilões para os mincs da vida, podem ajudar a reduzir emissões de CO2 e diminuir o aquecimento global. Se a temperatura da terra subir muito, parte da amazônia não correrá o risco de ser desmatada, já terá sumido, mas para os idiotas, salvar perereca poluída em APP é mais importante.

Paulo Cesar Bassan Goncalves

São José do Rio Preto - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 01/10/2009

A mesma "lógica e razão" que pautou esta reunião vem pautando as discussões sobre meio ambiente no Brasil há mais de 10 anos. Quando vai ficar mais séria?

Paulo Luís Gonçalves Campelo

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 01/10/2009

O nosso País está nas mãos de um bando de loucos gananciosos e incopetentes. De quem é a culpa? da Ignorância de todos nós que os elegemos. Lamentável é saber que no próximo ano teríamos uma grande oportunidade de dar uma boa guinada em tudo isso, mas não estamos preparados, enquanto isso o Brasil rola morro abaixo.

Reinaldo Bassan Gonçalves

São José do Rio Preto - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 01/10/2009

Apesar de serem milhões, os produtores rurais não tem a força necessária para se defender frente ao atual terrorismo ecológico sustentado por um Código Florestal antigo e inexequível, que necessita ser adequado à realidade para ser respeitado.
Será que é tão difícil para os chamados "ambientalistas" entenderem que se o atual Código Florestal for cumprido à risca, a produção agrícola vai despencar, acarretando desabastecimento e inflação? Que o povo brasileiro vai ser prejudicado?
Matoé importante, mas não enche barriga.

Paulo Luís Gonçalves Campelo

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 02/10/2009

Amigo Vacir P. Oliveira, compartilho com a sua opinião de que necessitamos refletir muito antes de eleger nosso futuro presidente, também sinto vergonha de deixar para os meus filhos o País que estamos construindo com esses bandidos comandando de forma irresponsável e com uma ganância desmedida em manter o poder a qualquer custo, para eles não há custo nenhum, quem paga a fatura dessa irresponsabilidade somos nós.

O Brasileiro precisa descobrir o verdadeiro Brasil que existe realmente e não só o Brasil que a Rede Globo nos mostra, precisa descobrir os Brasileiros que existem por detrás dos bastidores, e não apenas os que a Rede Globo nos mostra, a Rede Globo é uma grande aliada dessa turminha de mau caráter que nos governa, e o próximo presidente a ser eleito novamente será o que a Rede Globo quiser, às custas de que? dos salgados impostos que pagamos para esse bando de ladrões bancarem as suas festas. Somos todos peças de um joguinho e temos obedecido a cada ordem de movimento pacificamente e de olhos vendados, não temos opinião própria, e sim a opinião que a Rede Globo imbute em nossas cabeças.

Em nenhum país do mundo um governo trapalhão e corrupto como esse nosso teria mais de 80% de aprovação popular. O analfabetismo prolifera pelo País, não existem mais Escolas, está duvidando do que estou dizendo? Claro que sim, a Rede Globo tem mostrado que o IDEB do Brasil está se igualando aos Índices de Países desenvolvidos, hoje os professores de Escolas Públicas no Brasil vão para o trabalho sem nenhum entusiasmo, são reféns dos alunos violentos que não querem nada, que andam armados, que usam drogas nas salas de aula. Meus amigos todos nós sabemos que é esse o retrato das Escolas Públicas Brasileiras e não estamos fazendo nada para mudar essa realidade. Lamento dizer, é o FIM.

sergio luis f. nave

São Paulo - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 03/10/2009

caros amigos na verdade aqui só funciona sob pressão,e se o produtor rural não tomar conciencia de sua força,e não se unir, vai perder mais uma.Mas vamos lembrar a bancada RURALISTA que quem os colaca lá são os produtores rurais e não essa cambada de ambientalista, que estão querendo entregar o pais a essas ong"s e a verdade é só uma o brasileiro está comprando essa idéia e quando acordarmos pode ser tarde de mais

valdir goergen

Augusto Pestana - Rio Grande do Sul - Produção de leite
postado em 03/10/2009

Sou um podutor com uma área total aproximada de 30 has com uma produçao anual em torno de 420.000 litros, caso eu tiver que cumprir este código florestal como certos experts falam, perderei em torno de 50 a 60 por cento da minha área. Gostaria de saber quem vai pagar os investimentos que fiz e depois quem vai me dar o sustento para a minha familia, já que esta área eu tive que comprar e náo ganhei nada e também näo roubei, afinal quem vai ressarcir? Sou a favor de irmos para a rua. Que tal nós fazermos uma troca, vem eles trabalhar nas nossas áreas sem os vultuosos salários. Quantos dias será que eles ficariam na atividade.

Fernando Fonseca Gomes

Indianópolis - Minas Gerais - produtor de leite representante da kera
postado em 05/10/2009

tem alguns deputados que pensam que os ruralistas sao monstros, por as vezes cortar um pauzinho aqui outro ali, mas sera que estes tais deputados conseuem beber da agua que suas empresas jogam nos rios, o erro nao é so de nos trabalhadores rurais nao,se formos pensar em tudo que agride a natureza o mundo morrera de fome, temos é que ponderar nossos manejos paratermo vida melhor em todo aspecto com salarios justos com preços de nossas mercadorias ruraismais justos...

didier

São Paulo - São Paulo - Pesquisa/ensino
postado em 06/10/2009

A única coisa óbvia, nessas brigas, é que é preciso menos exaltação e mais reflexão.
A Amazonia é a parte mais rica do Brasil? So se acreditar que a riqueza está no subsolo ou no solo de um país. Mas e a Holanda? Tem minas, tem espaço? Gente, o que faz a riqueza de um país é também, e talvez somente, sua gente... Uma população alfabetizada e culta faz toda a diferença. Qualquer agricultor que viajou na Holanda sabe disso.
E essa coisa de achar que tem conspiração para roubar a Amazonia é desesperadora, de outro tempo. A proteção da floresta amazônica seria coisa de ONG estrangeiras? Então, que venham mais, precisamos, pois se a floresta acabar, acabará também a chuva em todo o Brasil central. Adeús soja, adeus gado, adeus cana. A chuva no planalto central é a respiração da floresta. Se sumir a floresta, vira tudo deserto.
Bom senso, ponderação, e escuta até entre adversários são necessários, pois os desafios são enormes.

Proteger nascente, respeitar APP, manter reserva legal seria terrorismo ecológico? Ora, quem tem nascente sabe que se queimar tudo em volta, acaba a água. E precisamos de água na fazenda, não precisamos?
Não da para simplificar coisas tão complexas, com argumentos baratos, coisas de comícios sertanejos e alcoolizados. Devemos conversar e não gritar... Buscar consensos. Caminhos.

Milton Tadeu Barrozo Gamborgi

Gaspar - Santa Catarina - Produção de leite
postado em 06/10/2009

"O nosso País está nas mãos de um bando de loucos gananciosos e incompetentes. De quem é a culpa? da Ignorância de todos nós que os elegemos. Lamentável é saber que no próximo ano teríamos uma grande oportunidade de dar uma boa guinada em tudo isso, mas não estamos preparados, enquanto isso o Brasil rola morro abaixo".
Faço minha as considerações do Sr. Luís Gonçalves Campelo e acrescento mais, o que esperar de um governo que assiste e incentiva ações de vandalismo como acabamos de presenciar em rede nacional, o MST invadindo propriedade produtiva, e destruindo milhares de arvores produtivas, num flagrante de desreipeito a dignidade do ser humano. Onde esta o direito de propriedade sera que rasgaram a nossa constituição, isto é democracia?

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade