Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Couro de ovinos: um novo mercado para os produtores

postado em 25/11/2008

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Cerca de 80 produtores participaram no sábado, 22, em São José do Rio Preto, do Segundo Dia de Campo da Associação Noroeste Paulista de Ovinocultores - Anpovinos, promovido em parceria com o Sebrae-SP. O destaque do evento, realizado no Recinto de Exposições de Rio Preto, foi uma palestra sobre aproveitamento de couro de ovinos, feita pela consultora Creusa Marlene Batista.

Ela calcula que deixam de ser aproveitadas anualmente no Brasil cerca de 100 mil peças - o equivalente a um milhão de reais jogado fora. A consultora informou que há um grande mercado interno para o couro de ovinos, mais resistente e mais macio que o bovino. "Todo o couro que os produtores colocarem à disposição no mercado terá comprador na hora", disse Creusa Marlene Batista. "Mesmo que o número de animais abatidos individualmente seja pequeno, eles podem se associar para organizar uma salgadeira, onde é feita a fase inicial de tratamento, e depois vender as peles para as empresas que produzem artigos de couro de ovinos, muito valorizado."

O vice-presidente da Anpovinos, Alexandre Pinto Cesar, disse que a palestra abriu uma nova possibilidade para agregar valores à produção de ovinos. "Desde que nós nos organizemos, acredito que será possível até aumentar o preço do couro para algo em torno de R$ 15, mais de 10% sobre o valor que recebemos hoje por um animal vivo enviado para o frigorífico. Além disso, podemos aproveitar também os miúdos, essenciais para vários pratos da culinária nordestina, mas que hoje têm o mesmo destino que o couro."

O gestor do Projeto pela Anpovinos, Fernando Marino, acredita que a Associação tem cumprido bem os seus objetivos. "Este Segundo Dia de Campo foi uma amostra disso", disse Fernando Marino. "Foi muito positivo, teve um bom número de participantes. São José do Rio Preto já é a região mais representativa do Estado em ovinocultura, e passou a ser referência em função do Projeto que desenvolvemos em parceria com o Sebrae-SP. Com ele, estamos sempre buscando alternativas de informação e novos caminhos de valorização do produto, principalmente a questão de comercialização da carne de qualidade e dos subprodutos do cordeiro."

Esta valorização da atividade é um dos principais objetivos do "Projeto Ovinocultura do Noroeste Paulista: Desenvolvendo para Alcançar o Crescimento", desenvolvido pelo Escritório Regional do Sebrae-SP em São José do Rio Preto, juntamente com a Anpovinos, que já vem sendo trabalhado desde outubro de 2007. "O grande foco é agregar valor ao produto", explica Wagner Antonio Jacometti, gestor do projeto pelo Sebrae-SP. "Uma vez que esteja sendo produzindo um animal de boa qualidade, temos possibilidade de valorizar ainda mais este animal e os subprodutos dele no mercado", finalizou o gestor.

Além da palestra sobre aproveitamento de couro, o Segundo Dia de Campo da Anpovinos ofereceu quatro estações técnicas, de 25 minutos cada, para os participantes: "A importância da correta suplementação mineral para ovinos", "Primeiros socorros e principais doenças na ovinocultura", "Avaliação racial para aquisição de matrizes e reprodutores" e "Como melhorar sua eficiência com a genética". Este último tema foi o que mais despertou a atenção dos produtores na sessão de debates que finalizou o Dia de Campo.

As informações são a Anpovinos, resumidas e adaptadas pela equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (1 estrelas)

Comentários

Roberis Ribeiro da Silva

Salvador - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 30/11/2008

Ultimamente não tinha mais participado nem de palestra, cursos e eventos sobre o agronegócio da carne caprina e ovina, até porque resolvi assumir a direção do frigorifico FRICAPRI hoje PANTANAL na Bahia. Que considero um desafio na atual conjuntura, visto que lutamos com o FRIGOMATO, URUGUAI (CÂMBIO), FALTA DE OFERTA REGULAR, FALTA DE MATÈRIA PRIMA DE QUALIDADE (PADRONIZAÇÂO), emfim são muitos desafios, mas felizmente estou superando pouco a pouco todos eles.

Sempre que posso acesso o farmpoint e as vezes leio matérias interessantes mas evito emitir opiniões. Mas nesse caso vou fazer algumas colocações, no caso das peles caprinas e ovinas o mercado está ladeira abaixo ou seja o preço por pele de primeira ovina a partir de 08/12/2008 será pago pelos curtumes nacionais R$ 5,00 a de ovinos e R$ 4,00 a de caprino de primeira fora alguns custos adicionais. No ano passado eu já tinha alertado aos agentes deste agronegócio as importações a custo zero daspeles caprinas e ovinas, agora vêm a crise internacional que parece que afetou mercado de couros, mesmo com o câmbio valorizado em relação ao real. Penso que todo esse desafio de colocar no mercado de processamento essas "100 mil peles", por ora ficarão mais difícil.

maria izabel zacarelli agulhon

Alto Paraná - Paraná - Produção de ovinos de corte
postado em 27/04/2014

sou produtora no norte do parana gostei de ver que estamos  conseguindo aproveitar os residuos dos cordeiros como os miudos e a pele .Tento de tudo ate fazer embutidos como linguica kafta almondegas hamburgueres e espetinhos ,mas a nossa regiao nao tem hatito de comer por isso ja desisti fica muito caro pro consumidor .Agora estou precisando negociar as peles e nao acho um bom mercado. se puderem me indicar ficarei grata .Maria izabel---belagulhon@bol.com.br

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade