Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Dilma Rousseff critica aprovação do Código Florestal

postado em 27/05/2011

13 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A presidente Dilma Rousseff criticou a aprovação, pela Câmara, de emendas ao projeto que trata do novo Código Florestal. "Não concordo que o Brasil seja um país que não tenha condição de combinar ser uma grande potência agrícola com uma grande potência ambiental", disse a presidente, durante cerimônia no Palácio do Planalto.

Dilma rebateu as críticas de que esteja colaborando com os desmatadores. "Não sou a favor da consolidação do desmatamento ou da anistia ao desmatamento." E disse: "O Brasil teve uma prática que não pode se deixar repetir. Muitas vezes se anistiava dívidas, anistiava novamente e novamente. O desmatamento não pode ser anistiado - não por vingança, mas porque as pessoas precisam perceber que o meio ambiente é algo muito valioso e é possível preservá-lo e produzir alimentos."

Dilma reafirmou ser contra as emendas ao Código. "Fui contra a aprovação. Mas, obviamente, respeitando a posição de todos que divergem de mim, continuarei firme defendendo a mudança da emenda no Senado."

A presidente também avisou que tem o poder do veto, mesmo sabendo que ele pode ser derrubado. "Primeiro, tentarei construir (no Senado) uma solução que não leve à situação de impasse que ocorreu na Câmara. Agora, quero dizer a vocês que eu tenho compromisso com o Brasil. Eu não abrirei mão desse compromisso. Nós temos obrigações diferentes e prerrogativas diferentes. Somos poderes e temos de nos respeitar, Judiciário, Legislativo e Executivo. Eu tenho a prerrogativa do veto."

"Se eu julgar que qualquer coisa prejudique o País, eu vetarei. A Câmara pode derrubar o veto. Você tem ainda as instâncias judiciais. O que eu quero dizer é que eu sou a favor do caminho da compreensão e do entendimento."

Em outro momento, quando conversava com senadores petistas, no Palácio da Alvorada, Dilma lamentou não ter conversado mais com os deputados. "Se a gente tivesse tido mais diálogo, teríamos aprovado (o texto como queríamos) na Câmara. Foram 40 votos de diferença." Questionada se prorrogará o início da vigência das punições, em 11 de junho, para os produtores rurais que não registraram a reserva legal em seus imóveis, declarou: "O futuro a Deus pertence."

A matéria é de Tânia Monteiro, publica no jornal O Estado de S.Paulo, resumida e adaptada pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Renan Aires de Alencar

Brasília - Distrito Federal - Produtor Rural
postado em 27/05/2011

"O futuro a Deus pertence."

Que tipo de fala é essa? quando assunto de tamanha importancia, as multas que afetam muitos produtores e podem se estender a 95% deles, a presidente não tem sequer algo melhor para dizer...

Marcos Dias

Centenário do Sul - Paraná - Produção de gado de corte
postado em 27/05/2011

O Congresso já percebeu que os maiores prejudicados pelo incompetente desperdício de produtividade serão mesmo a maioria, os pequenos produtores, que em muitos casos, somando APPs e RLs, ficarão sem nada além do papel da escritura (averbada). No fundo, o problema é que a viagem de volta da Europa demora muito tempo. Os botocudos do executivo brasileiro voltam pensando como se sentiram diminuidos pelos requintados europeus e concluem que aceitando as ecotolices inventadas por eles para prejudicar a agricultura e a pecuária do nosso país vão ganhar prestígio no cenário internacional, seja uma festinha, seja uma medalhinha, seja um carguinho na ONU. Uma plantação de milho produz muito mais oxigenio e mais sequestro de carbono do que qualquer pedaço do cerrado...

Darlani de Souza Porcaro

Muriaé - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 27/05/2011

A Sra,  Dilma, antes  de  falar  alguma  coisa  contra  a  nova  lei  ambiental  ,  inclusive  vetá-la , poderia  fazer  uma  conversa  melhor  com o Sr. Aldo  Rabelo , afim de  concientizar  melhor  sobre  o  assunto. Agora ,  ficaria  bonito  ela  tomar  alguma  iniciativa, através  de  forças  militares  para  evitar  os  desmatamentos  criminosos, principalmente nos  estados  do Pará  e  Amazonas.

Antonio Carlos Nascimento

Nova Andradina - Mato Grosso do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 27/05/2011

Tudo indica que a presidente Dilma precisa obter informações mais precisas e reais sobre a situação do produtor rural e não ficar dando ouvidos exclusivamente aos seus assessores e ambientalistas desinformados.

alvaro f vale

Uberlândia - Minas Gerais - Produção de gado de corte
postado em 27/05/2011

vou  esperar o desfecho final  em todos os niveis

para emitir um comentario

Jean Philippe STOCK

São Paulo - São Paulo - Produção de caprinos de corte
postado em 27/05/2011

Não posso entender: Sobre o desmatamento de hoje é só fiscalizar. Porque não se faz? Sobre o desmatamento de 20 anos a traz, não tive fiscalização de toda  evidencia, mas é difícil crer que a administração não tinha conhecimentos ou ate não tinha participado na ação. Assim tem que multar a administração também!

Corrigir os erros é necessário, mas tem que ajudar o ruralista meio para fazer isso e não multar.

Agora o código florestal não pode ser mais drástico que o código adotado no mundo porque é o brasileiro que vai pagar.   

      

Durval Ribeiro de Gouveia Junior

Barra do Garças - Mato Grosso - Produção de gado de corte
postado em 30/05/2011

A Dilma não sabe o que está falando. Precisa percorrer o meio rural para entender, assim como fez Aldo Rebelo.

Helio Jose Rezende Queiroz

Ipatinga - Minas Gerais - Bubalinos
postado em 30/05/2011

A Alemanha irá desativar todos os seus reatores nucleares em funcionamento até o ano de 2022, anunciou na madrugada desta segunda-feira o Ministério do Meio Ambiente alemão.


Dos 17 reatores existentes no país, oito --os mais antigos-- já estão parados por decisão do governo e não serão mais reativados, disse o ministro Norbert Röttgen





O mais recente vazamento de petroleo nos EUA foi uma catástrofe, será que ficar ameaçando com vetos vai realmente acabar com os desmatamentos???? Infelismente não... " os mandruvás" de plantão precisam conhecer as diversas realidades existentes em nosso Brasil...

RICARDO JOSÉ DE ALMEIDA SILVA

Sinop - Mato Grosso - Produção de ovinos
postado em 30/05/2011

Concordo com o comentário do Sr. Marcos Dias.


Marcos tbém sou de Cent do Sul. Mas estou morando no MT., me passe seu endereço de e-mail.


O meu é 3rbk@bol.com.br

RICARDO JOSÉ DE ALMEIDA SILVA

Sinop - Mato Grosso - Produção de ovinos
postado em 30/05/2011

Concordo com os colegas. E o Marcos Dias foi feliz em seu comentário.


Rafael Roman Henares

Pontes e Lacerda - Mato Grosso - Centro Processamento de Dados CPD
postado em 30/05/2011

Espero que a Dilma entenda bem e coloque o melhor para todos, que não afete ninguém, para que não há prejudicados.

Luis Felipe Carvalho de Miranda

Redenção - Pará - Produção de gado de corte
postado em 01/06/2011

Bom dia amigos agropecuaristas. Há 60 dias estudo  o novo codigo floresatal e sempre que me deparo com comentários como a de nossa respeitável presidente tenho a impressão de que não estamos falando da mesma PL 186. Qual seria a dita anistia? bem como o apoio ao desmatamento?.. Obrigado

BePoGa

Teófilo Otoni - Minas Gerais - Estudante
postado em 14/08/2011

Esse poder que a camara tem de derrubar o veto da presidente, é o que atrasa o Brasil e outros países inclusive. Dentro da camara só há deputados corruptos que ganham com o desmatamento, nunca será possivel estimar um fim do desmatamento no Brasil enquanto existir esse certo tipo de parasitas no governo, nem com o "exercito", enquanto os praticantes de desmatamentos estiverem "encobertos" pela lei, de certa forma, haverá mais e mais desmatamentos e queimadas.... O que poderia acontecer é a presidente ter o poder de veto definitivo, e nenhuma parte do governo poder derrubar isto.!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2022 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade