Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Embrapa realiza pesquisa sobre bem estar animal

postado em 16/12/2009

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Pesquisa inédita em bem-estar animal caprino está sendo realizada na Fazenda Crioula, campo experimental da Embrapa Caprinos e Ovinos em Sobral (CE). A médica veterinária Alice Andrioli, da Embrapa, avalia o desempenho das cabras leiteiras da raça anglo-nubiana criadas em sistema agrossilvipastoril.

O estudo integra um projeto maior, denominado "Bases científicas e tecnológicas para o desenvolvimento da pecuária orgânica no Brasil", coordenado pela Embrapa Agrobiologia.

Em Sobral, são 19 cabras em observação, criadas soltas numa das três áreas consideradas na pesquisa - florestal, pastagem e agrícola. Na primeira, o sistema é mantido totalmente inalterado, com a vegetação típica da Caatinga. Na segunda área da fazenda, foram introduzidas espécies gramíneas cultivadas em consórcio com a flora nativa. A terceira área é utilizada para a produção de alimentos como o milho, que pode servir de suplemento na ração animal no período de estiagem.

Os caprinos fazem o pastejo na segunda área, se alimentando das gramíneas. Segundo destaca Alice, os animais experimentam o conforto ambiental, no espaço que oferece pasto em áreas com sombreamento.

Ela explica que a criação caprina no sistema agrossilvipastoril oportuniza maior valor agregado para o tipo de pecuária. Uma vez que o objetivo do estudo é avaliar indicadores de produção leiteira dos animais nesse sistema, a experiência pode servir de referência para o estabelecimento de um modelo sustentável ao semiárido brasileiro. Tendo como parâmetro a sustentabilidade, possibilitará produções agrícola, florestal e pecuária, integradas à preservação do bioma Caatinga. Uma das metas é contribuir para evitar a degradação do solo e da vegetação e assegurar o bem-estar animal dos caprinos.

Como parte do projeto da Embrapa Agrobiologia, um dos objetivos é definir parâmetros para uma pecuária orgânica, na qual todos os produtos de origem animal estão livres de qualquer aditivos químicos, hormonais ou agrotóxicos.

O próprio pasto é cultivado sem esses insumos, o que poderá permitir, em momento posterior, a produção do leite de cabra orgânico. "Estamos iniciando agora o estudo da produção desse tipo de leite", diz ela.

Conforme explica a agrônoma Mônica Matoso Campanha, uma das integrantes da pesquisa na Embrapa Caprinos, um dos indicadores que ainda impede o leite 100% orgânico é a utilização de vermífugos tradicionais no controle de parasitas nas cabras. A meta é a substituição desses medicamentos por um vermífugo fitoterápico, feito à base de plantas.

A metodologia do estudo prevê a observação dos animais nas questões de bem-estar, produção, estado sanitário e reprodução em épocas diferentes do ano, acompanhando os períodos desde a prenhez e parto até o desmame. Sobre o bem-estar animal, Mônica Matoso complementa que já há estudos na área da pecuária leiteira bovina, comprovando aumento da produtividade dos rebanhos, em função da garantia do conforto animal, ou seja, as vacas passam a produzir mais leite porque são criadas sem estresse ou qualquer condição que possa causar sofrimento. Na Embrapa Caprinos, as pesquisadoras trabalham com a hipótese de que o mesmo poderá ocorrer com as cabras. Os quantitativos, no entanto, ainda estão sendo medidos.

A pesquisa foi iniciada oficialmente neste ano e prosseguirá por mais dois anos. É um trabalho de baixo custo, em torno de R$ 50 mil para todo o período.

A agrônoma da instituição, Nilzemary Lima da Silva, afirma que o grande objetivo do sistema agrossilvipastoril é realizar, de forma integrada, as atividades da agricultura, pecuária e florestal, combatendo as queimadas e os desmatamentos na região semiárida.

A agrônoma aponta as vantagens desse sistema. No que se refere à produção de alimentos, a pesquisa demonstra que a produtividade no cultivo de milho chega a ser três vezes maior. É possível colher 1.500kg de grãos por hectare, enquanto no sistema tradicional a quantidade chega a apenas 500kg/ha. No campo experimental, o cultivo é de milho porque servirá de alimento para os animais. Mas, numa propriedade particular, outras culturas poderão ser desenvolvidas.

Na produção animal, o peso vivo de cordeiro desmamado também é maior, chegando a ser quase oito vezes mais superior. No modelo agrossilvipastoral, chega a 60 quilos por hectare, contra os insignificantes 8kg/ha da criação tradicional.

Porém, ela defende que uma das grandes vantagens é a recuperação e preservação do solo e da vegetação. Árvores nativas do semiárido são preservadas, tais como o mororó, jurema preta, jurema branca, sabiá, pau branco, aroeira, pau d'arco, imburana, pereiro e catingueira. Na área destinada à agricultura, são preservadas 150 árvores por hectare.

Já no ambiente de pastejo, foram plantadas gramíneas exóticas, adaptadas às condições do semiárido, com capins das espécies gramão, bufel, andropogon e urochloa. Nilzemary explica que o pequeno produtor pode ampliar a nutrição dos animais, com a introdução dessas gramíneas na dieta do rebanho.

Na área de reserva florestal, a vegetação não fica totalmente intacta. A agrônoma orienta que o pequeno produtor que adotar o sistema em sua propriedade poderá fazer uso da área, como a retirada de lenha, mas de forma bastante controlada.

A reportagem é da Embrapa Caprinos e Ovinos, resumida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Marribe Síria Cardena

Mirassol d'Oeste - Mato Grosso - Distribuição de alimentos (carnes, lácteos, café)
postado em 18/12/2009

..Totalmente de acordo com a pesquisa.
Como sugestão poderão utilizar também a homeopatia.
E gostaria de saber como ter acesso a este trabalho no momento e depois.
Obrigada.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade