Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Empresário do Vale do Paraíba investe na criação de cães pastores e se destaca em torneios da categoria

postado em 11/06/2014

6 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Foi durante uma das etapas do campeonato paulista de pastoreio, em 2012, que o empresário Pedro Lotufo conheceu pela primeira vez a raça de cães pastores Border Collie. Desde então ficou fascinado pelo animal e o esporte. “Vi aquilo e achei o máximo, a facilidade dos condutores de orientar a direção dos cães e dos cães em controlar o rebanho e leva-lo para onde queriam. Decidi que queria fazer aquilo”, lembrou Lotufo.



Lotufo pesquisou o assunto, buscou informações sobre a raça e fez vários cursos de adestramento para aprender a treinar os animais para o trabalho. “Descobri que o cão pastor é um ótimo investimento para uma propriedade, pois além de economizar na mão de obra ele agiliza o trabalho, permitindo que o funcionário tenha tempo para outras atividades.”

No início não foi fácil, pois descobriu que não existiam criadores da raça na região onde mora, no Vale do Paraíba, e precisou buscar seus primeiros animais em Minas Gerais. Porém a dificuldade em encontrar o Border Collie, acabou se tornando uma oportunidade de negócio para o empresário. “Percebi que poderia criar e treinar animais prontos para o trabalho, pois existem muitos criadores de ovinos e caprinos na região que poderiam se interessar em ter um cão pastor”.

Foi assim que surgiu o Sítio Cadupe, em Taubaté. Atualmente Lotufo possui oito cães da raça, sendo cinco adultos e três filhotes. O negócio ainda está no inicio, mas já rendeu frutos. Três filhotes já foram negociados, sendo que um foi para o Mato Grosso do Sul. “Ainda estou vendendo somente filhotes, mas o projeto é terminar o centro de treinamento para fornecer os animais prontos para o trabalho.”



E o principal meio de divulgação são os torneios de pastoreios. A estrela da propriedade é a cadela Haika, de quatro anos. Só neste ano ela já subiu ao pódio seis vezes em competições oficiais e está liderando o torneio da Apop (Associação de Pastoreio do Oeste Paulista), com três primeiros lugares em quatro etapas, na categoria novato ovinos.

Para preparar os cães para as competições Lotufo montou até uma pista oficial em sua propriedade, para treinar e sediar provas. “Além de divulgar meus cães e trocar experiências com outros criadores, as competições me permitem avaliar o resultado do meu trabalho, pois às vezes o animal funciona em casa, mas é preciso testá-lo fora para ver o real desempenho”, explicou. Lotufo.



Plano de Negócios

Para auxiliar no projeto, Lotufo buscou ajuda do Sebrae-SP, onde recebe apoio na elaboração de um plano de negócios e na divulgação da marca por meio das consultorias de marketing e vendas. Além disso, o empresário também integra a Central de Negócios de Ovinos do Vale do Paraíba.

“A criação de animais para prestação de serviço no campo é um mercado promissor, porém é um projeto de longo prazo, que envolve a seleção genética e de índole dos cães, aliada a avaliação dos resultados nas provas de competição”, explicou Guilherme Santos, analista de agronegócio do escritório regional do Sebrae-SP, em Guaratinguetá.

Para mais informações sobre o Border Collie entre no site www.sitiocadupe.com.br ou pelo telefone (12) 99781-3110. Quer conhecer as ferramentas do Sebrae-SP para seu negócio? Ligue 0800 570 0800 ou (12) 3132-6777 Escritório Regional de Guaratinguetá.

As informações são do Sebrae, adaptadas pela Equipe Nossa Matilha e FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

ricardo augusto santos garcia

Londrina - Paraná - Produção de ovinos de corte
postado em 11/06/2014

Muito boa a sua visão realmente um bom cão treinado agiliza muito o trabalho com as ovelhas

Pedro Lotufo

Taubaté - São Paulo - Proprietário de cão/cães
postado em 12/06/2014

Primeiramente agradeço a todos que tem me apoiado nessa empreitada. Sabemos o quanto é difícil a vida no campo, e o quanto é difícil tornar uma propriedade rentável e vi no Border Collie uma ferramenta de trabalho extremamente eficaz. É um funcionário que AMA trabalhar, não falta e ainda por cima super companheiro.
Quem quiser nos contatar e conhecer mais sobre o pastoreio, estou a disposição pelo telefone (12) 99781-3110 ou pelo e-mail pedro_lotufo@hotmail.com

Pedro Lotufo

Taubaté - São Paulo - Proprietário de cão/cães
postado em 12/06/2014

Primeiramente agradeço a todos que tem me apoiado nessa empreitada e na divulgação do pastoreio. Sabemos o quanto é difícil a vida no campo, e o quanto é difícil tornar uma propriedade rentável e vi no Border Collie uma ferramenta de trabalho extremamente eficaz. É um funcionário que AMA trabalhar, não falta e ainda por cima super companheiro.
Quem quiser nos contatar e conhecer mais sobre o pastoreio, estou a disposição pelo telefone (12) 99781-3110 ou pelo e-mail pedro_lotufo@hotmail.com

Markus Krug

Uruguaiana - Rio Grande do Sul - Médico Veterinário
postado em 12/06/2014

Sou criador de ovinos e gado angus aqui em uruguaiana/rs, e a quase oito anos conto com a ajuda do border collie em minha fazenda, visto que tenho perto de 3000 cabeças, meus cães sempre foram fornecidos por um criador dessa região(Vale do Paraíba), que inclusive, fornece a outros produtores aqui da redondeza. Aliás, meu filho me enviou esse link, achando se tratar dele.

Renata Rosa

Piracicaba - São Paulo - Zootecnista
postado em 16/06/2014

Parabéns pelo excelente trabalho, Pedro!

Sabemos da grande dificuldade de otimização da mão-de-obra no campo. Infelizmente a mão-de-obra ainda é o grande gargalo na produção.
Fico feliz, como profissional do campo, em ver um trabalho como esse, de real incentivo a utilização de cães no manejo diário de animais de produção.

A raça já se mostrou apta em colaborar dessa forma com o crescimento e evolução da produção em outros países. Acredito que no Brasil não será diferente se houverem bons criadores que trabalhem seriamente nisso e que estejam engajados à produtores que também sabem onde querem chegar.

Muito boa matéria!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade