Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Frigoríficos do Nordeste discutem soluções para melhorar cadeia produtiva de ovinos e caprinos

postado em 08/11/2012

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Os principais frigoríficos do Nordeste se reúnem, nesta quinta (8) e sexta-feira (9), em Juazeiro (BA), para discutir e buscar soluções para os principais problemas nas cadeias produtivas das carnes de ovinos e caprinos. O evento, organizado pelo projeto Aprisco Nordeste, terá a participação de diversas entidades e empresas com ações focadas na ovinocaprinocultura. O Aprisco Nordeste é desenvolvido pelo Sebrae e tem como coordenador o diretor técnico do Sebrae Paraíba, Luis Alberto Amorim.

De acordo com o analista técnico do Aprisco Nordeste, Jucieux Palmeira, o Painel "Limitações, Oportunidades de Negócios e Prioridades nas Cadeias Produtivas das carnes de ovinos e caprinos" tem como principal objetivo encontrar soluções para os gargalos entre os produtores. "Da porteira para fora todo o processo está bem organizado, seguindo as legislações e produtivamente adequado. A questão é da porteira para dentro. É preciso conscientizar os produtores para o melhoramento das carnes, garantindo mais qualidade e excelência", explicou Jucieux Palmeira.

O analista do projeto Aprisco Nordeste ressaltou o melhoramento genético e o abatimento de animais com até 120 dias como alternativa para aumentar a qualidade da carne. "No final do encontro, será elaborado um documento com soluções para aperfeiçoar o processo produtivo, que será enviado a todos os frigoríficos da região Nordeste. Eles são as principais de pontes de contato com os produtores e são peças fundamentais nessa melhoria", destacou.

Entre os temas que serão discutidos no evento, estão: "Visão geral do setor da industrialização e transformação de carnes de ovinos e caprinos no Brasil e na Região Nordeste (Cristiane Rabaoli- Diretora Estância Celeiro - MT), "Ações e estratégias do Instituto Nacional de Carnes de Uruguai - INAC- na consolidação e desenvolvimento do marcado de carne ovina" (Engenheiro Agrônomo Jorge Acosta - Uruguai), "A importância e as vantagens da integração dos produtores no desenvolvimento da carne de ovinos com Identificação Geográfica Protegida 'CORDEREX'"(Raúl Muñiz Cimas - Espanha), "Um exemplo de integração nacional. 'Cordeiro Castrolanda'" (Tarcísio Bartmeyer - Cooperativa Castrolanda / Paraná).

Os representantes dos frigoríficos que participarão do evento irão apresentar a situação atual, principais problemas, possibilidades de crescimento, além de sugestões para superar as limitações e potencializar a empresa e o setor como um todo.

Realizado pelo projeto Aprisco Nordeste, com parceria do Sebrae Bahia, o Painel "Limitações, Oportunidades de Negócios e Prioridades nas Cadeias Produtivas das carnes de ovinos e caprinos" deve reunir cerca de 30 dos principais frigoríficos nordestinos. O evento conta com o apoio do Sebrae Nacional, Governo do Estado da Paraíba, Governo do Estado da Bahia, Ministério da Agricultura, da Embrapa Caprinos e de frigoríficos da Bahia.

O que é o projeto Aprisco - O Projeto Aprisco promove ações permanentes de capacitação e estratégias que garantem inserção no mercado e inovação tecnológica nos rebanhos. O programa cria um ambiente favorável a integração regional dos segmentos produtivos da cadeia da caprinovinocultura, de forma associativista, buscando o fortalecimento e desenvolvimento sustentável do setor, através da inserção competitiva no mercado regional e nacional, da inovação tecnológica e da organização da governança regional.

As informações são da Agência Sebrae de Notícias, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

Eugênio Rodrigues da Silva

Natal - Rio Grande do Norte - Produção de ovinos de corte
postado em 08/11/2012

Sem dúvidas é um evento de grande importância para o segmento da ovinocaprinocultura nacional e sobretudo do nordeste. Aguardamos as propostas de soluções.....

Saudações,
Eugênio Rodrigues da Silva

Aristofanes Carneiro Ribeiro

OUTRA - OUTRO - Produção de ovinos de corte
postado em 27/04/2013

Sou agronomo e hoje depois de uma longa caminhada recrio e engordo carneiros no norte do Piauí,o último lote trouxe a 1600 km de distancia.Quando estava em Juazeiro vi nascer o oprojeto Aprisco, e muitos outros existem nos estados Nordestinos,apoiados por diversas instituições.Mas o fato é que a 45 anos atrás meu pai como agronomo da Secretaria da Agricultura da Bahia,em um programa destribuiu reprodutores Anglo Nubiano,tempos depois a raça Santa Ines,entre outras.O buraco de mercado ja existia,e só fez aumentar,agora sendo ocupado pela importação.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade