Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Gales: projeto pode reduzir emissões de metano ovino

postado em 03/02/2011

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Uma ferramenta única para modelar o impacto que o melhoramento genético pode ter na redução das emissões de metano na produção de carne de cordeiro está sendo examinada em um novo projeto em Gales, região sudoeste da Inglaterra. Feito por solicitação da agência de promoção de carnes vermelhas, a Hybu Cig Cymru, (HCC) o projeto tem o objetivo de demonstrar que as reduções nas emissões de metano podem ser conseguidas sem comprometer a produção. Estimativas sugerem que a produção agrícola contribui com aproximadamente 9% das emissões anuais totais no país de Gales.

"Demonstrar que isso pode ser reduzido sem ter que cortar o número de animais é vital para manter a competitividade da produção de carne de cordeiro galesa", disse a técnica de desenvolvimento executivo da HCC, Lynfa Davies. "O melhoramento das raças já mostrou que pode reduzir os custos de produção e espera-se que os resultados do projeto ajudem a demonstrar que mais melhorias nas raças podem também reduzir as emissões de metano. Essas melhorias na eficiência não somente beneficiarão o meio-ambiente em Gales, mas também, a viabilidade financeira da indústria ovina galesa".

Financiado pelo Plano de Desenvolvimento Rural de Gales, o projeto está sendo feito pela Universidade Aberystwyth, com o suporte da KN Consulting (KNC) e Innovis. De acordo com a pesquisadora da KNC, Catherine Nakielny, a redução nas emissões de metano é um dos principais desafios enfrentados pelos produtores de ovinos.

A pesquisadora do Instituto de Ciências Biológicas, Meio-Ambiente e Rural da Universidade Aberystwyth, Janet Roden, disse que os produtores comerciais podem já comprar carneiros reprodutores que foram selecionados para taxa de crescimento, atributos de carcaça, habilidade maternal e capacidade de produção de prole.

"Essas, são melhorias genéticas que esperamos ser muito efetivas para ajudar nas reduções de emissões de metano. Por exemplo, maiores taxas de crescimento e redução nos tempos de terminação deverão reduzir as emissões totais de metano do rebanho ovino. O modelo sendo desenvolvido através desse projeto tentará estimar, pela primeira vez, o impacto dessas melhorias para os rebanhos ovinos em Gales".

A reportagem é do Farmersguardian.com, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade