Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Governo argentino diz que não vai ceder à pressões

postado em 27/03/2008

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O governo de Cristina Kirchner deixou claro ontem, em declarações feitas pelo ministro de Economia, Martín Lousteau, que não vai ceder à pressão dos agricultores que exigem o fim dos aumentos aplicados nas retenções sobre as exportações de produtos agrícolas.

"Não recuaremos", declarou, categórico, Lousteau. "Não aceitamos o método de bloquear as estradas por parte dos agricultores."

Pela manhã, irritados com a presidente, os agricultores reforçaram os piquetes em mais de 300 pontos nas estradas, impedindo o trânsito de caminhões com alimentos, medida que está provocando o desabastecimento nas grandes cidades do país.

O discurso de Cristina na véspera contra os agricultores teve o efeito - segundo os próprios manifestantes - de "jogar mais lenha na fogueira". Ela afirmou que os agricultores não passavam de "piqueteiros bem de vida".

Enquanto o impasse continua, o desabastecimento de alimentos faz aumentar a irritação da população com o governo. Ontem à noite, nas ruas de Buenos Aires, podia-se ouvir o mesmo som da véspera: os panelaços, que protagonizaram em 2001 a queda de dois governos. Na terça-feira, depois de seis anos, os argentinos retomaram a temida forma de protesto.

O ministro da Segurança e Justiça, Aníbal Fernández, afirmou que vai garantir o livre trânsito dos caminhões que transportam alimentos. "Aqueles que não entenderem isso serão presos."

As indústrias de laticínios suspenderam ontem o envio de seus produtos para o comércio. A carne já começa a faltar nas principais cidades do país. Frutas e óleo também já estão ausentes nas gôndolas.

As informações são do Jornal o Estado de S. Paulo.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade