Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Ivan Saul palpita sobre a importância do espaço para os ovinos

postado em 08/03/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O produtor de ovinos e proprietário da Granja Po'A Porã, Ivan Saul, de São José dos Pinhais, Paraná, enviou um comentário ao artigo "Leitor comenta sobre a importância do espaço para os ovinos" Abaixo leia a carta na íntegra.

"Estimado amigo Piccoli e demais colegas de FarmPoint.

Respondendo ao desafio vou defender a "ciência nacional" com a seguinte teoria:

Nós da América Latina em geral, começamos na criação de ovelhas com rebanhos provenientes, predominantemente, da África e da Península Ibérica com muito sangue bérbere/africano, característica comum às raças mediterrâneas. São ovinos leves com capacidade de caminhar longas distâncias em terrenos difíceis com baixa disponibilidade nutricional, das vastidões arenosas às montanhas pedregosas desde a África até o sul da Europa. No Cone Sul em particular, os ovinos introduzidos tinham origem naquelas ovelhas Ibéricas e as que melhor se adaptaram foram/são as sobreviventes que deram origem à quase totalidade do rebanho atual. Quase pois devemos considerar as importações de algumas fêmeas de diversas raças modernas, ocorridas no século passado, formadoras dos plantéis de várias cabanhas que produziram carneiros largamente utilizados em cruzamentos absorventes sobre aquelas "ovelhas crioulas" de origem ibero bérbere.

Enfim, com esta introdução, o que eu quero dizer é que, lá nas suas origens, nossas matrizes compartilham esse berço no deserto, assim sendo, quando nós introduzimos em nossos rebanhos os melhores carneiros importados Ideal ou Hampshire Down (puxando a brasa) estamos diluindo seu precioso DNA, e o nosso suado dinheirinho, naquelas magricelas perdendo a lã que vieram da África, como todos nós viemos, aliás.

O que prova esta afirmativa científica? O DNA mitocondrial

Explico, muito resumidamente para os leigos entenderem, diferentemente daquele outro - que está nos cromossomos, no núcleo das células - utilizado nos testes de paternidade (em que 50% da coisa vem do pai e os outros 50% da mãe), o DNA mitocondrial tem origem exclusivamente materna pois é encontrado nas mitocôndrias (organelas responsáveis pela produção de energia) que se localizam no citoplasma das células, inclusive do óvulo mas não na cabeça do espermatozoide. Deixando de lado toda aquela coisa de marcadores moleculares para maciez, área de olho de lombo, etc... que estão relacionados com o DNA cromossômico, al fin y al cabo, quem determina o grau de eficiência com que as células musculares utilizam energia e, principalmente, neste caso - uma vez que mais de metade do DNA mitocondrial se relaciona à codificação da síntese proteica - a eficiência e o tipo de proteína que os ribossomos produzem (ribossomos são organelas responsáveis pela montagem das moléculas de proteína que as células necessitam). As proteínas presentes nas células musculares, que são produzidas mediante a solicitação do exercício físico, dependem daquele casco original de ovelhas caminhadeiras. Como toda essa conversa de proteína e células musculares quer dizer carne em língua de gente, acho que basta de fisiologia.

Da observação e da prática campeira se pode chegar a mesma conclusão, a ovelha precisa de espaço pois, como todos os herbívoros, ovelha pasta caminhando. A National Geographic e o Discovery diriam: é um atavismo, fugir permanentemente dos predadores; eu digo: é esperança, na próxima moita o pasto pode ser mais gostoso, a mutuca (Tabanideos) voa e vai pousar na que vem atrás, enfim, pra frente é que se anda e não em círculos dentro de um piquetinho que perde qualidades organolépticas e nutritivas a cada volta. Ademais de manter-se o rebanho em ótima condição sanitária por que dificilmente as fontes de recontaminação infecciosas e parasitárias ainda existirão quando o rebanho volte à determinada área.

Economizei no texto por razões de espaço, a versão com a introdução completa e a resposta ao argentino, pode ser vista no meu blog:

[http://ivansaul.blogspot.com/2012/03/importancia-do-espaco-para-os-ovinos-el.html].

Abraço à todos.

Saudações ovelheiras!

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

sergio saretto

Sobradinho - Distrito Federal - Produção de caprinos de corte
postado em 02/05/2014

Muito interessante, tenho um rebanho extremamente saudavel se comparar aos outros colegas que conheço, eu sempre atribui isso ao fato das minhas ovelhas caminharem bastante, pois minha area é estreita e comprida e para elas irem ao piquete e voltarem para beber agua elas caminham!!  Ta ai a prova!!  grato amigo Saul , aprendi mais uma!!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2021 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade