Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Leitor comenta sobre rentabilidade da criação de ovinos

postado em 09/10/2012

27 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O presidente do Núcleo de Criadores de Caprinos e Ovinos das Regiões dos Campos das Vertentes e Zona da Mata (NUCCORTE) e ovinocultor, Luciano Piovesan Leme, de Barbacena/MG, enviou um comentário para a enquete proposta pelo FarmPoint: Ovinocaprinocultura: atividade rentável? Abaixo, leia o comentário na íntegra:

"Certamente este é um tema bastante controverso junto aos criadores por diversas razões:

1) Não é hábito entre a grande maioria dos criadores realizar uma contabilidade real e confiável que lhe permita conhecer seus custos de produção. Dessa forma, se não temos os custos na "ponta do lápis" não temos como indicar a rentabilidade do nosso negócio;

2) Certamente a escala de produção é um fator importante, entretanto a possibilidade de que o produtor esteja associado ou cooperado a uma entidade aglutinadora pode também determinar sua rentabilidade independente de seu tamanho na atividade, permitindo desta forma a viabilidade do negócio;

3) O mercado comprador necessita de regularidade de entrega e de cordeiros padronizados (peso vivo entre 35-42 quilos, idade média de 145 dias), desta forma é necessário que o criador conheça sua atividade, programe sua produção, possua estrutura de alimentação e instalações adequadas ao tamanho e necessidade do rebanho, assim é preciso profissionalismo.

4) Também é fundamental escolher raças que, aliadas ao manejo nutricional e sanitário, possam exprimir seu potencial de produção de carnes com bom peso ao nascimento (3,5-5 kgs), bom peso ao desmame (20-25 kgs. aos 90 dias) e ganho de peso diário (280 a 330 grs./dia) que possam chegar aos 145-150 dias de idade com peso vivo médio de 35-42 kgs. prontos para o abate.

Atendidos os quesitos acima descritos, tenho absoluta certeza na rentabilidade da atividade de ovinocultura, com excelentes resultados aos criadores. Vamos ampliar o debate e esperamos que a atuação profissional na atividade faça do Brasil uma referência mundial na produção de ovinos de corte.


Participe você também deixando o seu comentário!

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 09/10/2012

Luciano

Em minha opinião o grilo maior da oferta de cordeiros é a regularidade da oferta, facil de ser programada e difícil de ser realizada.
Sabemos que para progamarmos 2 periodos de monta teremos de ter praticamente 2 rebanhos na propriedade, se progamarmos 4 periodos teremos de ter 4 rebanhos. Ora se de uma maneira geral ele maneja mal 1 como vai manejar 2 ou mais.
Esse é só um quesito entre vários que a cooperativa estabeleceu que o Zé vai produzir na época das águas e o João no período seco, então os custos de produção são totalmente diferentes e ai.
Tudo é muito complexo, podemos conversar mais.

gabriel silva alves

São Sebastião do Passé - Bahia - Produção de leite
postado em 09/10/2012

Concordo com você, inclusive a falta de curso é o grande problema, por exemplo aqui em salvador/ba já procurei saber no raio de 100km onde consigo oferecer cursos para meu cuidador!?Resultado não existe,pior de tudo que muito deles se muito têm é o 1° grau, Ou seja ele so escuta do proprietario que têm que fazer isso e aquilo,mais sabemos que nem tudo acontece como orientamos, sempre querem fazer do jeito deles e ainda quando você muda de rebanho piora por exemplo bovinos x ovinos e por aí vai.
O nosso grande problema hoje é manejo, e a ACCOBA precisa oferecer cursos práticos e diminuir custos para se associar-se, por exemplo diferenciar o preço para expositores e criadores.

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 10/10/2012

Sergio
Esse mercado através do atravessador é dificil. O produtos pequeno para vender um animal, tem que levar esse animal para a cidade, então para fre doi cordeiro e sua passagem. Na cidade ele precisa almoçar e para voltar para casa paga a passagem de volta. E ainda perde o seu dia de serviço na fazenda.
Ora o atravessador compra na sua porta e ainda deixa acertada a proxima visita;
Esse problema é facil de resolver no papel, mais na prática é muito dificil

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade