Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Minc: ruralista só defende ambiente na terra dos outros

postado em 03/09/2009

14 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Três meses após ter chamado produtores rurais de "vigaristas", declaração que o levou a pedir desculpas publicamente, o ministro Carlos Minc (Meio Ambiente) disse que associações e parlamentares ruralistas "são a favor do desmatamento zero na terra dos outros, desde que não seja nos seus próprios crimes ambientais". A declaração foi dada em meio à fala de improviso na comemoração dos dois anos do Instituto Chico Mendes para uma plateia com cerca de 200 servidores do órgão.

"Você vai às associações ligadas aos grandes agricultores, parlamentares também ligados a esses setores, todo mundo fala no desmatamento zero", disse o ministro, que a seguir citou reclamações dos ruralistas, como o desgaste e o aumento do desemprego no setor, por conta das ações de combate ao desmatamento e à criação de gado em áreas desmatadas. O ministro, que fez um balanço de um ano e três meses de sua gestão, também anunciou a criação de unidades de conservação ambiental.

As informações são do jornal Folha de S.Paulo, adaptadas pela Equipe AgriPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Paulo Luís Gonçalves Campelo

Belo Horizonte - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 03/09/2009

O Sr. Carlos Minc deveria estar mais envolvido em Projetos que efetivamente pudessem contribuir com redução do aumento de gases do efeito estufa na atmosfera, que é a substituição dos combustíveis fósseis por combustíveis limpos. Enquanto não nos tornarmos independentes da utilização dos combustíveis fósseis, nenhuma atitude visando essa redução será eficiente. Toda molécula de gás emitida a partir da queima de combustíveis fósseis estavam antes "guardadas" nos poços de petróleo ou em minas de carvão mineral a milhões e milhões de anos, assim, podemos considerar que essas moléculas desses gases estavam "fora do sistema", se considerarmos a atmosfera como um sistema fechado.

Fazendo-se essa analogia fica fácil perceber que os gases emitidos através da queima de combustíveis fósseis estão entrando no sistema contribuindo efetivamente para o aumento do seu nível dentro desse sistema, enquanto que os gases emitidos através da queima de combustíveis provenientes de fontes renováveis como é o caso do álcool, do carvão vegetal, de óleos vegetais, etc. estão apenas fechando um ciclo natural, onde a árvore captura esse gás da atmosfera em seus processos fisiológicos, os quais passam a fazer parte de seus tecidos, em seguida essa planta vai ser utilizada como matéria prima para fabricação de carvão, de álcool, de óleos, de ração para animais, etc.

Por isso é que eu vejo com muita preocupação tanta comemoração diante da recente descoberta de grandes volumes de petróleo na camada do Pré Sal, o dinheiro que será arrecadado pela exploração desse Petróleo já está sendo disputado a faca muito antes de se saber quando será, como fará e quanto custará a sua exploração a quase 7.000 metros de profundidade. Ficaram todos cegos diante de tanta riqueza, e ainda somos obrigados a ouvir asneiras ditas por um certo Ministro que de nada entende, que nada sabe e que adora bater em cachorro morto, é um covarde, um rebelde sem causa, queria ver o tombo desse indivíduo e de seus comparsas se os Agricultores e Ruralistas Brasileiros tivessem uma representação política compatível com a força oculta que se esconde por trás da dispersão da Classe.

Somos muitos e somos fortes, mas de nada adianta essa força se não caminharmos na mesma direção, com pensamentos sincronizados e lutando por objetivos comuns, que hoje, o principal deles seria preservar o nosso simples direito de existir como cidadãos livres para trabalhar, produzir e continuar a contribuir significativamente com o Progresso desse País. Precisamos de um competente Maestro para reger essa Orquestra, caso contrário seremos todos vencidos por uma minoria de bandidos que possuem um representante muito poderoso. Me vejo diante de um triste quadro onde os corruptos e bandidos são beneficiados pelos Tribunais corrompidos e os Produtores Rurais serem duramente penalizados por tomadas de decisões de políticos que governam em causa própria tentando dizimar uma classe que poderia colocar em cheque os interesses pessoais deles.

Afranio Vasconcelos Barros

Muriaé - Minas Gerais - Consultoria/extensão rural
postado em 03/09/2009

Idiotas, devem ser tratados como idiotas.

Carlos Minc chega a ser rídiculo.

sergio luis f. nave

São Paulo - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 03/09/2009

concordo com tudo que disse nosso amigo Paulo Campelo

Pedro

Serra do Salitre - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 04/09/2009

Infelizmente o Brasil segue o mesmo caminho de nossos vizinhos.
Estamos caminhando para o caos, nunca se viu na historia do Brasil, tanta corrupção, tantos desmandos e tantos ex guerrilheiros e assaltantes de banco com cargos no alto escalão do governo. Um país dessa grandeza, governado por homens como esse idiota, que hoje está ministro. Só traz a nós produtores desânimo e vontade de abandonar tudo e viver a custa das bolsas esmolas. Mas graças a Deus resistiremos pois somos trabalhadores que construímos esse país, superando todo tipo de dificuldades. E não vai ser idiotas como esse que nos fará desistir.

PAULO LUIS HEINZMANN

SALVADOR DAS MISSÕES - Rio Grande do Sul - Consultoria/extensão rural
postado em 04/09/2009

Pobre Minc...

Sem mais comentários, pois não vale a pena!!

Paulo Fernando Andrade Correa da Silva

São José dos Campos - São Paulo - Produção de leite
postado em 05/09/2009

Eu não sou vigarista. Sou dos que poe alimento na mesa deste Sr. Minc, pelo que emite, um inconsequente, um irresponsável!

Roberto Cunha Freire

Leopoldina - Minas Gerais - Produção de gado de corte
postado em 05/09/2009

Isso é traduzido em uma simples frase "AINDA BEM QUE OS HOMENS PASSAM E OS CARGOS FICAM".Nunca se viu na história dêsse país tanta incompetência e vontade da aparecer na mídia como a desse cidadão

wagner pimentel

Manhuaçu - Minas Gerais - Trader
postado em 07/09/2009

Fico chocado com as coisas que o Sr Minc gosta de dizer, joga pra uma plateia de bardeneiros que gosta de chamar atençao, invadindo terras alheias.

Por que essa turma não invade terras devolutas do governo? Por que querem terras produtivas agora? A resposta é simples: pegar uma propriedade em funcionamento é mais facil.

Vamos nos unir, amigos produtores, e protestar contra uma violência destas. Fomos nós que sempre levantamos e carregamos esse país nas costas, sofrendo com governos e mais governos que simplesmente ignoram aquilo que está em sua própria mesa.

Somos fortes e vamos passar por mais essas agressões. Depois vão dizer que somos culpados por defender nosso patrimônio, mas se a lei não nos protege, temos que fazê-lo

Wagner Corrêa

Jaboticabal - São Paulo - Indústria de insumos para a produção
postado em 08/09/2009

O Ministro deveria vender sua coleção de coletes e se preocupar mais com questões realmente ligadas ao meio ambiente!

Fernando Fonseca Gomes

Indianópolis - Minas Gerais - produtor de leite representante da kera
postado em 08/09/2009

Vejo que tanto bla bla do nosso dignissimo Carlos Minc só vem a prejudicar nosso pobre homem do campo, que cada vez fica mais pobre, porque com tanta reserva que eles impõem ao produtor, agora só falta criar a reserva da reserva.

Sabe, é um verdadeiro caos o que as autoridades fazem com o homem do campo, que tanto luta para por o alimento na mesa deles e de outros que querem acabar com o sossego do pobre trabalhador rural.

Peço às autoridades que olhem para os ruralistas com outros olhos, pois é o homem do campo que produz o alimento, não só para eles, mas também para nosso povo tão sofrido pela miséria da zona urbana.

Tarlei Telio Vinhal

Carmo do Paranaíba - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 09/09/2009

Acredito que toda a classe rural é unanime em repudiar o ministro minc e suas atitudes lunaticas! por isso homens do campo a palavra de ordem de agora em diante é fora minc! todos juntos vamos fazer valer nossa vontade, se nao daremos a resposta nas urnas q se aproximam novamente, boicotearemos o presidente lula e sua candidata, acreditem! so nós nao sabemos a forca que temos! abracos!

Decio barb0sa freire

Belo Horizonte - Minas Gerais - Produção de café
postado em 10/09/2009

Este ministro: cada passo, uma "mincada"

Humberto de Freitas Tavares

Ribeirão Preto - São Paulo - Produção de gado de corte
postado em 11/09/2009

A figuraça do Minc não se emenda...

http://www.youtube.com/watch?v=JFhIQLM0mis

O pior é que a massa ignara adora isso.

Haja saco para produzir num ambiente desses.

Rogério de Abreu Torres

Quatis - Rio de Janeiro - Consultoria/extensão rural
postado em 28/09/2009

O Ministro Carlos Minc tem uma tendencia a falar demais. Ele adora a fazer projetos e não diz quem vai pagar a conta. Se nós brasileiro temos ainda 53% da cobertura vegetal e a Europa não tem 1,5 por cento porque qiue agora vamos ter que garantir o bem estar do resto do mundo de graça, quem vai pagar a despesas vai ser o governo federal.Ele quer acabar com o café em Minas ,Espirito Santo ,Paraná e outros. Ele esqueceu que quem financiou e incentivou foi o próprio governo, café também não faz fotossintese seu ministro? Assume o que esta feito e para o desmatamento e quem não tiver reserva coloca em dia financiado pelo governo e que receba pelos creditos de carbono.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade