Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Ministra da Agricultura quer facilitar compra de terras por estrangeiros

postado em 06/05/2015

5 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A ministra da Agricultura, Kátia Abreu, afirmou que vai buscar flexibilizar as restrições existentes hoje para a compra de terras por estrangeiros no Brasil.

Em entrevista à agência Bloomberg, a titular da Pasta argumentou que essas proibições limitam investimentos e precisam ser retiradas. Ela afirmou estar "trabalhando" com outros ministérios e com a Advocacia Geral da União para encontrar alternativas para essa regulação. Ela disse esperar avanços satisfatórios nessas discussões este ano.

Em reunião com a Bancada Ruralista no Congresso, o ministro da Fazenda, Joaquim Levy, também falou ontem sobre as demandas do campo. Disse que a taxa de juros a ser anunciada para o Plano Safra 2015/16 deve se situar abaixo da taxa básica de juros (Selic), que se encontra em 13,25% ao ano, porém acima da inflação em 2015, cujas estimativas apontam para um patamar de 8%.

As informações são do Jornal Valor Econômico.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

sidnei fries

Concórdia - Santa Catarina - Produção de leite
postado em 07/05/2015

Ela que facilite a compra de terras por brasileiros, filhos de agricultores, ela só tem visão empresarial???? Ou quer levar algum por fora??? Estamos na contramão dos outros paises, devemos sim proteger o que é nosso!

Fabiano Andre Horst

Quinze de Novembro - Rio Grande do Sul - Produção de leite
postado em 07/05/2015

Concordo plenamente com você Sidnei Fries. Tantos jovens querendo oportunidade e ¨eles¨ querendo facilitar compras para estrangeiros. É preciso dar prazo e assistência técnica e a produção nacional aumenta naturalmente.

Adely Evangelista Martins

OUTRA - OUTRO - Pecuarista - gado de corte
postado em 08/05/2015

Certamente que na condição de representante de um seguimento tão importante e tão vasto, o peso que este seguimento representa na economia do pais, com a responsabilidade e na autoridade pra  responder a altura, é evidente procurar fazer de tudo e um tanto mais pra corresponder, mas Exs.Ministra, um pouco de moderação ai pode ser o fator pra dar o tiro certo. Desculpe minhas palavras anterior. Se devemos respeito pelas autoridades, ainda muito mais as de casa, que nos representa, nosso pais.    

Lurdes

Teutônia - Rio Grande do Sul - Técnico
postado em 11/05/2015

Encaminhamos para comprar terra pelo crédito fundiário, faz aproximadamente 4 anos, até hoje não saiu nenhum centavo. Não estamos falando só no meu caso, nenhum financiamento para comprar terra está sendo liberado na região. Gente que quer trabalhar e não consegue um pedacinho de terra. Ela fala em facilitar compra de terra por estrangeiros e dificulta a compra pelos brasileiros.

Carlos H.R.Sarmento

OUTRA - OUTRO - Climatização
postado em 12/05/2015

Mais um absurdo alguém deve estar financiando. O é sabido que nossa produtividade é muito baixa, mas a exemplos de latifúndios bem sucedido gerido por brasileiros.O que esta faltando são normas (leis)mais simples e fácil compreensão para os agricultores.O governo só sabe complicar, impostos absurdos (altos) que só sustenta uma máquina corrupta e inchada.O que tem que mudar no Brasil é a forma "democrática" de que só favorece parte dos cidadãos.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade