Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

MS: Vigilância é reforçada com o deslocamento de fiscais e veterinários serão contratados

postado em 16/01/2012

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

As atividades de fiscalização que vêm sendo promovidas pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) na fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai receberam o reforço de fiscais agropecuários de todo o país nos últimos dias. O objetivo da mobilização é evitar a entrada do vírus de febre aftosa proveniente do Paraguai.

Entre fiscais federais agropecuários e médicos veterinários dos serviços veterinários estaduais, 13 técnicos foram deslocados de Goiás, Rondônia, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e do Pará para apoiar os trabalhos de fiscalização em 14 postos fixos, nove barreiras volantes e, principalmente, na vigilância em propriedades de maior risco. Os postos do Sistema de Vigilância Agropecuária (Vigiagro) espalhados pela fronteira também foram reforçados com fiscais federais do Serviço de Inspeção Federal (SIF) do próprio Estado.

Paralelamente, o governo estadual está organizando uma seleção para a contratação emergencial de mais 35 médicos veterinários. Os novos funcionários atuarão, prioritariamente, na zona da fronteira. Os contratos terão duração de um ano, com possibilidade de renovação por igual período. Os profissionais deverão iniciar os trabalhos já no início do próximo mês.

A operação conta com o apoio das Forças Armadas. Ao todo são 100 auxiliando nas rotinas de fiscalização.

No Paraná, além da presença de 16 militares na Ponte da Amizade as medidas de segurança foram ampliadas com a participação da Polícia Rodoviária Federal. Uma reunião entre o serviço veterinário paranaense e o catarinense, nos dias 18 e 19 de janeiro, deverá definir uma série de medidas conjuntas a serem implementadas na fronteira para também impedir a entrada da doença no país.

Um grupo de veterinários do Comitê Veterinário Permanente do Mercosul (CVP) também deverá visitar o país vizinho. O objetivo é ajudar o Paraguai a identificar as causas do foco e implementar estratégias para erradicar a febre aftosa no seu território.

A matéria é do Mapa, resumida e adaptada pela Equipe MilkPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Samuel Etgeton de Souza

Bagé - Rio Grande do Sul - Médico Veterinário
postado em 24/01/2012

Como posso fazer parte desta seleção de veterinários para o estado?


Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade