Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

NZ: pesquisa descobre ovinos que produzem menos metano

postado em 22/09/2009

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Pesquisadores que trabalham para o Governo da Nova Zelândia em parceria com a indústria agrícola descobriram que alguns ovinos naturalmente produzem menos metano na digestão de seus alimentos do que outros - potencialmente abrindo caminho para um programa de criação de animais que produzem menor metano.

Quando criados a pasto, a diferença nas emissões entre o rebanho com baixa produção de metano e o de alta produção foi de cerca de 20%. A diferença variou dependendo do que os ovinos comeram, mas sempre esteve presente. "Pela primeira vez, abrimos a possibilidade de criar animais com menores emissões de gases de efeito estufa", disse o pesquisador que encabeça o estudo no Agresearch, Harry Clark.

Os pesquisadores criaram dois rebanhos retirando ovinos de um rebanho maior, um de cada vez, e colocando os animais em uma câmara de respiração fechada. Os animais foram alimentados com uma variedade de alimentos enquanto os cientistas mediram o metano que eles produziam. Aparentemente, independentemente do que comeram, alguns ovinos pareciam geneticamente programados para expelir menos gases. Os animais foram, então, separados em dois rebanhos - um de alta produção e outro de baixa produção de metano.

O rebanho com baixa produção de metano produziu 8% menos o gás do que o outro rebanho quando foi alimentado com silagem e outros alimentos desidratados.

O trabalho foi pago pelo Pastoral Greenhouse Gas Research Consortium - uma aliança entre o Governo da Nova Zelândia, cientistas e indústria agrícola. O consórcio tem cerca de oito ovinos em cada rebanho até agora e o gerente, Mark Aspin, disse que os testes serão repetidos para encontrar mais animais para cada rebanho.

Embora ainda seja cedo para dizer isso, os pesquisadores esperam que a criação de animais que produzem menos metano reduza a emissão desse gás, que é responsável por cerca de um terço das emissões de gases de efeito estufa da Nova Zelândia. Aspin disse que a meta é criar um programa de cria para cortar o metano sem comprometer a produção.

Bovinos e ovinos são geneticamente similares, de forma que os testes em ovinos ajudarão a entender os bovinos. Aspin disse que são necessários mais testes para avaliar se os ovinos que produzem menos gases não têm falhas genéticas no que diz respeito à produção de leite, lã e carne e se eles passam esse perfil de emissão para seus descendentes.

"A situação ideal é que encontremos uma alta produção de leite ou carne, alta taxa de fertilidade e baixa emissão de metano no mesmo animal", disse ele. Aspin disse que se o programa de cria der certo, os pesquisadores precisarão encontrar uma forma mais barata e rápida de testar a produção de metano do que a colocação de cada animal em uma câmara de respiração. Isso será parte de pesquisas futuras.

O consórcio tem a meta de cortar as emissões de gases de efeito estufa por unidade de leite, carne ou lã em 10% com relação aos níveis de 2004 até 2013. Os financiadores do programa são Fonterra, Meat & Wool New Zealand, AgResearch e a Foundation for Research Science and Technology, do Governo neozelandês.

A reportagem é do NZHerald.co.nz, traduzida e adaptada pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Daniel Sampaio Colen

Governador Valadares - Minas Gerais - Instituições governamentais
postado em 25/09/2009

Essa notícia é muito boa para o meio ambiente, visto que os ruminantes são grandes contribuidores para a emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa. Esperamos evolução nessa pesquisa, e o meio ambiente agradeçe.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade