Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Ovinocaprinocultura terá R$25 milhões em recursos não-reembolsáveis

postado em 04/11/2011

4 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O setor de ovinocaprinocultura será beneficiado com R$ 25 milhões em recursos não-reembolsáveis, além de mais de R$ 100 milhões em financiamento, até 2012. O pacote de medidas faz parte do convênio para a criação do Comitê Estadual para Integração da Cadeia Produtiva da Ovinocaprinocultura da Bahia - Bioma Caatinga. O programa é uma parceria entre o Banco Interamericano de Desenvolvimento, Cooperação Espanhola, Fundação Banco do Brasil, Sebrae e CUT.

Esse convênio integra o Projeto Nordeste na Bahia, cujo protocolo de intenções foi assinado na manhã desta sexta-feira, 15, no Hotel Pestana, entre representantes de várias entidades. Participaram do evento o presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, e o governador da Bahia, Jaques Wagner. Eles assinaram o protocolo de intenções para implementar o Projeto que visa aperfeiçoar as parcerias do banco com os estados nordestinos, auxiliando na execução de seus planejamentos plurianuais, além de reforçar a inserção regional do Banco do Brasil e seu compromisso com a sustentabilidade e o desenvolvimento.

O Comitê de Integração pretende estabelecer condições e procedimentos necessários para disseminação e implementação de ações voltadas ao desenvolvimento sustentável da ovinocaprinocultur da Bahia, mediante o apoio de atividades produtivas locais. O diretor do Banco do Brasil, Sergio Miranda, destacou a importância do Sebrae como parceiro da iniciativa.

O superintendente do Sebrae Bahia, Edival Passos, foi um dos signatários do convênio, que também teve assinaturas do governador Jaques Wagner e do presidente do Banco do Brasil, Aldemir Bendine, além de representantes de entidades parceiras, como a Federação de Agricultura e Pecuária do Estado da Bahia (Faeb), representada pelo seu presidente João Martins, Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri), Federação dos Trabalhadores da Agricultura (Fetag), Universidade Federal da Bahia, Conab, EBDA e Senar.

Outro convênio assinado pelo superintendente do Sebrae Bahia, Edival Passos, foi o que prevê a implantação de 226 unidades do programa PAIS - Produção Agroecológica Integrada e Sustentável, ao custo de R$ 9 mil por unidade, distribuídas nos municípios de Bom Jesus da Lapa, Canápolis, Carinhanha, Feira da Mata, Santa Maria da Vitória e São Félix do Coribe. Atualmente, já estão em desenvolvimento 374 unidades PAIS, em 17 municípios baianos.

O PAIS é uma forma agroecológica de produção familiar, que associa produção de alimentos e criação de animais, contribuindo para garantir a segurança alimentar dos beneficiários e gerar renda com a comercialização do excedente. O programa é destinado aos agricultores de baixa renda, assentados em projetos de reforma agrária, produtores de áreas remanescentes de quilombolas e participantes de programas sociais do Governo Federal.


As informações são do SEBRAE, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

LAZARO JOSE DA SILVA

Extrema de Rôndonia - Rondônia - Produtor Rural
postado em 18/11/2011

Seria ótimo que estes recursos fosse estendidos para a Amazonia, existem por aqui infinidade de pequenos produtores, sem nenhum tipo de financiamento dessa modalidade, justamente aqueles que preservam a floresta e tem um pequeno pasto e que se criar gado, é insuficiente para manter sua familia, se for para a ovinocultura/caprinocultura, não há créditos oficiais para a area. O norte para estes pequenos produtores está em outra galáxia.

JOSÉ CORTEZ MEDEIROS TORRES

Natal - Rio Grande do Norte - Produção de caprinos de leite
postado em 06/09/2012

Seria bastante útil que este tipo de  recurso fosse disponibilizado para o Rio Grande do Norte, existem por aqui infinidade de pequenos produtores, sem nenhum tipo de financiamento dessa modalidade, justamente aqueles que preservam o Bioma da Caatinga e tem um pequeno pasto e que se criar gado, é insuficiente para manter sua familia, e esse tipo de credito para aquisição de ovinos/caprinos, seria de grande valia com a criação do comitê gestor.

LAZARO JOSE DA SILVA

Extrema de Rôndonia - Rondônia - Produtor Rural
postado em 06/09/2012

AMIGO JOSÉ CORTEZ, VOCE AINDA PODE SE ANIMAR, POIS O PROJETO SERÁ ESTENDIDO AOS ESTADOS NORDESTINOS, DIFERENTEMENTE DA REGIÃO NORTE, ONDE NEM SE COGITA DE TÃO UTIL BENEFICIO. MAS, AINDA TEMOS ESPERANÇA
QUE TODO O PAÍS SEJA CONTEMPLADO.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade