Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

PB: caprinocultura gera oportunidades na caatinga

postado em 06/03/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Entre as novas opções de trabalho para manter os paraibanos na caatinga estão a cerâmica vermelha do Seridó e a caprinocultura de corte do Cariri. Segundo o Sebrae na Paraíba, o estado já consolidou essas atividades, mas precisa inovar. Um dos conceitos para se trabalhar nestas áreas é a sustentabilidade.

Essa foi uma das sugestões apresentadas pelo gerente de agronegócio do Sebrae, Antônio Felinto Neto, que participou da 1ª Pré-conferência Estadual de Desenvolvimento Sustentável do Bioma Caatinga, em Campina Grande. O evento emitiu documento que representará a contribuição da Paraíba para a I Conferência Regional - A Caatinga a Rio+20, que acontece em maio deste ano, em Fortaleza.

"Existem três projetos exitosos na caatinga paraibana, que é a caprinocultura leiteira no Cariri, a ovinocultura no Agreste e a apicultura no Sertão. Mas precisamos melhorar o modelo econômico", disse Felinto. Ele se refere a um avanço, por exemplo, na questão ambiental, que sempre esbarra com o trabalho das olarias de cerâmica vermelha. "Este segmento precisa adotar medidas como a produção de florestas energéticas", ressaltou.

Já a caprinocultura de corte é um pouco mais complexa, segundo Felinto. "A cadeia produtiva existe no estado, mas os frigoríficos ficam muito ociosos, porque falta atingir a capacidade de mais 50% de carne recebida. Nesse caso, já se cogita a alternativa de desenvolver o produto premium, 'Cabrito do Cariri'. Isto é, fazer a carne de cabrito vender mais, introduzir inovação no corte, priorizar o abate do cabrito com até 30 dias", sugeriu.

O gerente do Sebrae ainda pontuou outras atividades de sucesso na Paraíba, entre elas o Arranjo Produtivo Local (APL) dos calçados em Campina Grande, que dobrou o quadro de trabalhadores de mais de 1,5 mil para três mil numa década. Outro projeto que difunde o conceito sustentável é o trabalho com a agricultura familiar. A Produção Agroecológica Integrada e Sustentável (Pais) já conta com mais de 200 famílias no estado. E a produção leiteira caprina do Cariri, que é a maior do Brasil, com 15 mil litros/dia.

As informações são da Agência SEBRAE de Notícias, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade