Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

PB: encontro discute linhas de crédito para o setor

postado em 19/03/2010

1 comentário
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Dirigentes do Banco do Brasil e do Programa do Leite se reuniram na última quarta (17), com o Sebrae Paraíba e produtores rurais para discutir as linhas de crédito disponíveis e o futuro do setor da ovinocaprinocultura. A intenção era mostrar o mercado existente, principalmente para o leite de cabra e as facilidades existentes para quem quer iniciar um negócio no setor.

Com o Programa do Leite do Governo do Estado, a Paraíba produz hoje um total de 120 mil litros de leite por dia - somando o leite de vaca com o de cabra -, atendendo famílias carentes de 223 municípios e gerando emprego e renda para produtores de 111 pequenas cidades.

De acordo com o coordenador do programa, Aldomário Rodrigues, o Programa do Leite está reerguendo a atividade agropastoril na Paraíba. Mas para começar a produzir, é necessário que se tenha condições de criar o rebanho e retirar o leite de forma higiênica, e para conseguir essas condições, muitos produtores rurais recorrem aos empréstimos e outras formas de crédito. "Com esta finalidade, disponibilizamos várias linhas de crédito. O Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), por exemplo, financia projetos individuais ou coletivos, que gerem renda aos produtores. Através dos empréstimos obtidos, eles podem adquirir desde a infra-estrutura, até a ração do animal", explicou o Gerente de Desenvolvimento Rural Sustentável do Banco do Brasil, Francisco Alves.

Para apoiar os beneficiários produtores do Programa do Leite, existem 20 Agentes de Desenvolvimento Rural Sustentável (ADR'S), que atuam na região, visitando as propriedades e orientando os produtores quanto às questões que vão desde o uso de novos equipamentos tecnológicos e de refrigeração, até a demonstração de como a ordenha deve ser feita de forma higiênica para garantir a qualidade do leite.

Nas diversas possibilidades da cadeia produtiva da ovinocaprinocultura leiteira, de corte, couros e peles, embutidos, artesanatos, entre outros, o Sebrae se reuniu em todo o Nordeste e encomendou um estudo de mercado, que identificará o que o consumidor espera do setor em cada estado, de forma que cada um possa desenvolver o que tem mais potencial.

Mesmo antes de o estudo ser concluído, Rodrigues alerta para o mercado carente de leite de cabra e o grande potencial paraibano. "Com as práticas aplicadas hoje, estamos inseridos em uma cultura de primeiro mundo, já podemos produzir visando o mercado internacional. Atualmente, os maiores produtores de leite de cabra do mundo são a França e a Rússia, mas lá as cabras só entram no cio uma vez por ano (no outono) e nós temos leite o ano inteiro, existe aí uma enorme entressafra que podemos suprir", disse Aldomário.

As informações são do Sebrae Paraíba, resumidas e adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

robson vidal

Maragogi - Alagoas - Produção de ovinos
postado em 23/03/2010

O fururo do semiárido paraibano e nordestino esta na ovinocaprinocultura, mas falta crédito e tecnonologia. Pessoas com vontade de produzir muitas vezes ficam desestimuladas com a falta de apoio e pespectivas de futuro na atividade devido a incerteza do retorno de seus investimentos. Só nos resta acreditar e vislumbrar que um dia a carne de cordeiro ocupará um lugar de destaque juntamente com a carne de frango, a carne suina e de bois nas gondolas dos supermercados e nas mesas brasileiras. Robson Vidal.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade