Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Preço do kg/vivo cai e do kg/carcaça está estável

postado em 27/10/2010

3 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Com a chegada dos primeiros cordeiros da safra 2010 no mercado, os preços do animal vivo começaram a cair. No Rio Grande do Sul, segundo a Emater, o quilo vivo está sendo comercializado a R$ 4,06 (já esteve em R$ 6,00). Em São Paulo, estão um pouco mais altos, em torno de R$ 4,73 o quilo vivo. Há uma semana, o preço em São Paulo estava em R$ 5,00 o quilo vivo, mas já havia chegado a R$ 8,00.

Já a cotação do quilo da carcaça para o mercado de cordeiro vem se mantendo estabilizada nos mercados gaúchos e paulistas. Segundo o levantamento realizado pelo Unicetex da FZEA/USP, o preço mais alto encontrado nesta semana foi de R$ 10,51 na praça de Campinas e o mais baixo ficou em São Paulo, capital e Araçatuba. Já no Rio Grande do Sul, o valor pago pelo Marfrig, aos participantes do programa da ARCO, segundo o coordenador, Marcelo Grazziotin, está em torno de R$ 10,20 a carcaça. "Ainda têm as bonificações de 10 ou 15% recebidas de acordo com a qualidade do animal", ressalta.

Os cordeiros que estão chegando ao mercado são nascidos em junho, e criados com suplementação alimentar. O maior volume só ficará pronto para abate a partir de dezembro e janeiro. Os técnicos dizem que a carcaça ideal para ir ao mercado, de acordo com a preferência dos consumidores, é a dos animais entre 110 e 130 dias de vida, com rendimento entre 12kg e 14kg de carne, ou seja, entre 28kg e 30kg de peso vivo.

As informações são do Jornal do comércio e da ARCO/Unicetex, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (4 estrelas)

Comentários

junior matos rafael

Loanda - Paraná - Consultoria/extensão rural
postado em 27/10/2010

Se a procura é maior que a demanda como pode cair o preço? Gostaria que alguém com maior sensibilidade no mercado pudesse explicar melhor, afinal como pode alavancar a produção e incentivar novos criatórios com queda de preço, concluo que dez/jan quando a oferta estiver maior a tendência e baixar mais o preço? Por favor gostaria que alguém explicasse?
Att...

Carlos Otavio Lacerda

São José dos Campos - São Paulo - Produção de leite
postado em 29/10/2010

Não confere com o preço que estou recebendo na praça de São Paulo e não tem lógica considerando o efeito substituição, dado a elevação no preço da arroba do boi e do kg da carne de frango e suíno, causados pelos efeitos da seca sobre o pasto e sobre os custos de insumos básicos da ração. Especificamente para os ovinos devemos considerar ainda que nesta época os preços aumentam em função da maior procura de final de ano por ovinos e caprinos, o que neste ano coincidiu com a redução das exportações do Uruguai para o Brasil de carne ovina. Sugiro que o FarmPoint investingue suas fontes

Henrico Dinapolli

Santa Maria - Rio Grande do Sul - Produção de ovinos
postado em 29/10/2010

Olá amigos. Bom, pelo que me parece o FarmPoint utiliza como fonte o informativo semanal do preço do cordeiro. Esse informativo abrange muitos, muitos produtores, então a fonte é confiável sim. é um trabalho que vem sendo realizado pela USP e já faz um tempo. O mercado está muito aquecido sim, os preços estão altos sim, houve uma queda devido um pequeno aumento nos abates devido a engorda dos cordeiros fora de época. E outra pessoal, a queda maior foi na regiao Sul. Abs,

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade