Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Projeto do Sebrae reduz mortalidade em 25%

postado em 30/10/2006

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O projeto de Caprinos e Ovinos do Sebrae reúne 60 produtores de nove municípios do Rio de Janeiro e Minas Gerais. Desde que a iniciativa foi colocada em prática a taxa de mortalidade dos animais caiu de 30% para 5%. E o reflexo é geral na cadeia da ovinocaprinocultura desses estados.

"Nos últimos quatro anos, com o manejo correto e o melhoramento genético, a produção de leite aumentou de três mil litros por mês para 13 mil litros", comemorou o gestor do projeto do Sebrae em Pádua, José Alcino Cosenday Nascimento.

O trabalho do Sebrae é reconhecido pelo produtor Rogério Pereira Rocha. "Fizemos, por exemplo, uma viagem a São Paulo patrocinada pelo Sebrae. Com isso, pudemos ver de perto muitas técnicas novas e tirar várias dúvidas com outros produtores. Já não estava satisfeito com meu produto e pude perceber que meus cordeiros não eram tão bonitos e tão gordos como os que vi em outras propriedades. Por isso, decidi investir no cruzamento de raça para melhorar a qualidade", contou.

Segundo matéria de Regina Mamede, da Agência Sebrae de Notícias, para facilitar o escoamento do leite e ganhar escala de produção para comercialização da carne, foi criado em 2005 o Núcleo de Ovinocaprinocultores do Noroeste do Rio de Janeiro. Graças à capacitação, os produtores diversificam cada vez mais seus produtos usando, por exemplo, a tripa para fazer lingüiça e o couro para o artesanato.

Rocha também está animado com o desenvolvimento de uma pomada medicinal feita a partir do sebo. "Sozinho, seria muito mais difícil conseguir a melhoria genética, ter dinheiro para bancar assistência técnica permanente ou identificar as demandas do mercado. Agora, me sinto mais confiante", admitiu.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade