Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Projeto quer implantar assessoria nutricional para produtores de caprinos e ovinos em pasto nativo

postado em 29/10/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

Um serviço que possa prestar assessoria em nutrição animal a produtores de caprinos e ovinos criados em pastagem nativa. Esta é a proposta do projeto "Uso da espectroscopia da reflectância do infravermelho próximo (NIRS)", liderado pelo pesquisador Marco Aurélio Bomfim, da Embrapa Caprinos e Ovinos (Sobral-CE). Representantes de instituições envolvidas no projeto estiveram reunidos na última sexta-feira (26), em Fortaleza (CE) para discutir as futuras ações do projeto, cuja duração vai até 2015. A discussão aconteceu no segundo dia do Seminário Internacional Bases teóricas e práticas da experimentação com pequenos ruminantes em pastejo no Nordeste brasileiro.

Durante o encontro nesta sexta, os participantes discutiram medidas para aperfeiçoar metodologias das ações de pesquisa e de transferência de tecnologias previstas no projeto. A ideia é de, a partir de coletas de amostras de fezes de animais, analisadas pelo equipamento de NIRS e por um software específico, emitir relatórios sobre consumo e exigências de alimentação nos rebanhos para traçar orientações aos produtores rurais envolvidos, inclusive de como trabalhar com suplementação alimentar quando necessário.

"Algumas técnicas atuais, como a análise de digestibilidade in vitro, podem levar até dez dias para gerar resultados. Com o uso do NIRS, o resultado pode sair em 48 horas. Esta rapidez é o grande filão", destacou Marco Bomfim. Ele vislumbra a possibilidade de que, no futuro, o serviço possa atender a demandas de produtores rurais por análises, além de emitir notas e recomendações sobre nutrição animal a diferentes regiões brasileiras.

O projeto atuará em propriedades rurais no Ceará, Paraíba e Pernambuco, trabalhando na coleta de fezes de animais e na análise da composição botânica de vegetais da caatinga com potencial para nutrição animal. A partir daí, a Embrapa Caprinos e Ovinos e universidades parceiras trabalharão na elaboração de uma ferramenta para análise nutricional que possibilitará o funcionamento do serviço de assessoria.

Assim, os integrantes do projeto esperam responder a demandas de produtores que mantêm animais em pastagem nativa na caatinga, condição que traz fatores como temperatura elevada e maior exposição a verminoses que não se fazem presentes com tanta ênfase quando os animais estão em confinamento. O uso da NIRS para esta finalidade já é adotado em rebanhos de países como Estados Unidos, Austrália e Israel.

A execução do projeto contará com a participação de pesquisadores da Embrapa Semiárido; das universidades Texas A&M (EUA), do Arizona (EUA), Federal do Ceará, Federal Rural de Pernambuco, Federal da Paraíba, Federal de Campina Grande; da Escola Família Agrícola Dom Fragoso, em Independência (CE). O Seminário trouxe também representantes de outras instituições, como a Universidade Federal do Rio Grande do Norte e Universidade do Estado do Mato Grosso, já com a perspectiva de futuras parcerias para ampliação do projeto.

As informações são da Embrapa Caprinos e Ovinos, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade