Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Qual é a principal oportunidade e a principal ameaça da ovinocultura hoje no Brasil?

postado em 06/09/2011

2 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A ovinocultura vem se destacando como uma atividade em expansão no agronegócio brasileiro e como qualquer outra atividade, ela apresenta oportunidades e ameaças.

Uma oportunidade detectada é o aumento de renda da população, o que consequentemente eleva o consumo de carnes. Os países em desenvolvimento serão a grande força do crescimento da produção, do consumo e do comércio agrícola nos próximos dez anos, segundo o relatório de perspectivas agrícolas da Agência para Agricultura e Alimentação das Nações Unidas (FAO) e da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE). A demanda desse grupo é impulsionada pelo aumento da renda per capita e pela urbanização, reforçada pelo crescimento populacional que é duas vezes maior do que nos países desenvolvidos. A tendência é de um aumento no consumo de produtos como carnes e alimentos processados.

As pessoas vêm se adaptando a novos hábitos de consumo, o que tem favorecido o crescimento da demanda pelas carnes de ovinos e seus derivados (Simplício & Simplício, 2006). Em muitos lugares do Brasil a carne ovina é indispensável nos cardápios de restaurantes, bares e hotéis. A procura pela carne aumentou no país e vem conquistando novos consumidores por suas características organolépticas e seu valor nutricional. Grande quantia da carne ovina formalmente consumida no Brasil é importada do Uruguai, porém esse país passa por uma constante redução do rebanho e prefere exportar para países de maior valor agregado, tornando esse momento oportuno para investimentos.

Já uma ameaça da ovinocultura é a existência de cadeias produtivas mais desenvolvidas. Hoje as cadeias agroindustriais mais desenvolvidas no Brasil apresentam constantes mudanças tecnológicas exigidas pelo próprio mercado, principalmente na pecuária de corte, avicultura e suinocultura. As inovações nos produtos, os estudos de mercado e as ações de marketing fazem com haja aumento da demanda pelos consumidores.

Uma cadeia de produção agroindustrial pode ser segmentada, de acordo com Batalha e Silva (2001), de jusante e montante, em três macrossegmentos: comercialização, industrialização e produção de matérias-primas. A lógica de encadeamento das operações, de jusante a montante, como forma de definir a estrutura de uma cadeia de produção agroindustrial, assume que as condicionantes impostas pelo consumidor final são os principais indutores de mudanças de todo o sistema. Nesse sentido, transformações no comportamento do consumidor influenciam de modo relevante as inovações em curso nas cadeias agroindustriais e, principalmente, no modo como os diferentes elos produtivos estarão articulados para conseguirem responder de maneira eficiente às exigências do consumidor final.

O FarmPoint pergunta: na sua opinião, qual é a principal oportunidade e a principal ameaça da ovinocultura hoje no Brasil? Participe deixando o seu comentário!

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Comentários

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 08/09/2011

Um dos principais "gargalos" para a ovinocaprinocultura, é não ter se encontrado um  sistema de comercialização qua atinja ao pequeno produtor, possivelmente devido a escala de produção individual ser baixíssima.

Se observarmos atentamente  veremos que o progresso observado nessa atividade, nos estados da Paraíba, Rio Grande do Norte, Pernambuco e agora no Ceará deve-se a caprinocultura leiteira. A produção de carne continua  estática.  

A esperança de melhor renda se voltou para o leite.

Nei Antonio Kukla

União da Vitória - Paraná - Consultoria/extensão rural
postado em 08/09/2011

Acredito que o aumento no consumo de alimentos, no caso de carnes tbm, e ainda, carnes de qualidade e valor agregado, tudo isso sendo consequência da melhora no poder aquisitivo dos brasileiros, especialmente a classe C que segundo estimativas vem adotando um melhor padrão de vida, esse seja a grande oportunidade da ovinocaprinocultura mostrar sua cara e apresentar seus produtos a estes clientes.

Por outro lado, falar em ameaças é chover no molhado, pois ao longo do tempo se falou em necessidade de assistência, em melhoramentos de alimentação, manejo e genética, em abate clandestino, em divulgação e pouco foi feito ainda. Muito embora não esteja tudo parado, há muito ainda o que se fazer.

Talvez o que precise é algo chamado de FOCO, ou seja, ter foco naquilo que se faz: se um ovinocultor é o que é, ele deve ter foco na atividade de ovinocultura, perseguir o que há de melhor em termos tecnológicos para desenvolver a sua produção e fazer o seu produto ser visto como o melhor. Se um Governo de Estado vê que o seu território tem potencial para a atividade, e que esta trará melhorias sociais e econômicas para a sua população, este Governo deve ter foco na atividade através de programas que fomentem a atividade.

Estar focado naquilo que se faz é a essência do sucesso!

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade