Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

RN: Estado tem potencial para produção de derivados

postado em 23/07/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A atividade agropecuária de criação de caprinos, apesar de antiga no Rio Grande do Norte, ainda apresenta possibilidades pouco exploradas, mesmo que reconhecidamente lucrativas. O aproveitamento do leite de cabra como matéria prima para a composição de produtos derivados, no caso, queijo, iogurte, doces e até licor, como acontece em outros estados do Nordeste, como a Paraíba, é um exemplo de mercado a ser explorado.

Nas principais cooperativas de beneficiamento de leite de cabra na região Oeste, principal produtora do alimento, não há registros de produção dos derivados. As experiências exitosas ainda são isoladas, realizadas, em sua maioria, por produtores independentes, que fabricam molho, rapaduras e queijo.

"Infelizmente não há um interesse por parte dos criadores em investir na produção de derivados. Temos um vasto mercado a ser explorado, mas ainda há muita dependência dos criadores e cooperativas aos programas governamentais. Mas o Sebrae possui capacitações, relacionadas às boas práticas e legislação, direcionadas a quem se propõe produzir", informa Vamberto Torres.

Empresário do setor de laticínios, Alex Duarte, reconhece a abertura do mercado para a produção dos derivados de leite. Mas, ao mesmo tempo, aponta a necessidade de altos investimentos e a falta de incentivo governamental como principais entraves à produção. "Condições favoráveis em termos de quantidade de leite disponível no mercado não faltam. Até já tentamos produzir queijos com leite de cabra, mas é preciso um grande investimento em equipamentos. Outra coisa é que precisamos de incentivo por parte do Governo e incentivo também para elevar a demanda de consumidores", opina.

Com a falta de aproveitamento do leite para fins comerciais voltados para a produção dos derivados, o destino de praticamente 100% dos pouco mais de 10 mil litros de leite produzidos por dia é comercializado junto ao Governo do Estado. Posteriormente, o alimento é distribuído em escolas da rede estadual de ensino. Também é destinado a pessoas que possuem tolerância ao consumo do leite bovino.

As informações são da Agência SEBRAE de Notícias do Rio Grande do Norte, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade