carregando...
Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Sebrae: estudo pretende aperfeiçoar a ovinocaprinocultura no país

postado em 02/10/2013

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

A experiência de cinco países na criação e comercialização dos produtos da ovinocaprinocultura servirão como exemplo para o Brasil. Mesmo sendo um mercado rentável do agronegócio, o Brasil ainda não explorou totalmente seu potencial nesse setor. Para qualificar melhor os produtores, o Sebrae na Paraíba, em convênio com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), está realizando um estudo sobre a ovinocaprinocultura no Brasil. Na última sexta-feira (27), consultores do projeto viajaram para o Reino Unido e Espanha. Em outubro, conhecerão a realidade do Uruguai, Nova Zelândia e Austrália, países que são referência internacional na área.

“No início de dezembro, vamos apresentar em Brasília o resultado final desse estudo e poderemos entender melhor a nossa cadeia produtiva, já que nosso país, e especialmente a região Nordeste, possui um grande rebanho de caprinos e ovinos. Quais atitudes temos que tomar para oferecer o que o mercado precisa?”, indaga o gestor do projeto e analista técnico do Sebrae na Paraíba, Jucieux Palmeira.

Dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) mostram que cada habitante brasileiro consome em média por ano 20 vezes mais carne bovina do que carne ovina e caprina. Mesmo com o consumo baixo, o Brasil ainda importa carne ovina. “Ou seja, há um mercado a ser explorado, que precisa aumentar a sua oferta. Mas, para isso, temos que trabalhar desde a criação dos animais, com tecnologia e inovação”, ressalta Jucieux Palmeira.

O Brasil tem um rebanho de cerca de 10 milhões de caprinos e 17 milhões de ovinos, segundo informações do IBGE. Desse total, 91% do rebanho de caprinos e 56% do de ovinos estão na região Nordeste. A maioria está localizada em área semiárida, que atravessa longos períodos de estiagem. “A Austrália, por exemplo, possui um clima seco, muito parecido com o do Nordeste brasileiro. Por isso, queremos conhecer as experiências relevantes e os fatores que influenciaram o sucesso desses locais. Nossa ideia é formular estratégias para diminuir as limitações e potencializar oportunidades”, completa o analista do Sebrae

As informações são da Agência Sebrae de Notícias, adaptadas pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade