Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Segundo dia de campo do projeto Validação de Sistemas alimentares para produção de cordeiros junto às cooperativas do estado do Paraná

postado em 03/04/2012

Comente!!!
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O segundo dia de campo sobre o projeto Validação de Sistemas Alimentares para a produção de carne de cordeiros junto às cooperativas do estado do Paraná ocorreu neste sábado 31/03/2012 nas dependências do Sindicato rural de Londrina e fazenda Carranca de propriedade do Sr. Ricardo Luca.

Pela manhã os produtores tiveram oportunidade de acompanhar a apresentação dos resultados parciais do projeto de pesquisa bem como assistir palestras relacionadas à produção de ovinos em pastagens e estratégias alimentares para os períodos de entressafra com os pesquisadores Cesar Poli (UFRGS) e Patrick Schmidt (UFPR). Na oportunidade o doutorando Fernando Hentz apresentou os principais resultados da pesquisa e justificou a importância do planejamento e profissionalismo para a atividade.

"A pesquisa nesta fase apresenta grande oportunidade de servir de modelo produtivo para o estado. Estamos praticamente encerrando a fase de avaliação a campo em Londrina, Norte do Paraná e vejo grandes perspectivas em relação aos sistemas de produção em fase de validação. Avaliamos dois sistemas de produção: no primeiro os cordeiros são desmamados precocemente 45 a 60 dias e são terminados em pastagem com uso de suplementação concentrada. No segundo sistema os cordeiros são terminados ao pé da mãe exclusivamente em pastagem.
O norte do Paraná possui solos muito bons e um fotoperíodo extremamente favorável a produção de forragem. Estamos avaliando os sistemas em pastagem de Aruana e é impressionante o que obtivemos de disponibilidade de MS e taxa de acúmulo da espécie. Neste ano tivemos precipitação abaixo da média e mesmo com isto tivemos resultados muito bons."

"Existe muita dificuldade do produtor com o manejo da pastagem, especialmente no que se refere à manutenção de oferta e/ou carga animal ajustadas. Os resultados positivos destes sistemas em avaliação devem-se em grande parte a manutenção de elevada oferta de forragem aos animais para que estes tenham condições de selecionar alimento com qualidade superior ao da pastagem presente." "Os produtores do estado do Paraná tem oportunidade distinta de se valer de sistemas de produção previamente validados para contribuir com o desenvolvimento de uma produção organizada e que atenda aos padrões que o mercado exige."

Tivemos participação efetiva dos produtores nos dois dias de campo realizados e percebemos a importância desse tipo de atividade no projeto proposto.

Sobre o Projeto

O projeto de pesquisa é coordenado pela professora da Universidade Federal do Paraná Dr. Alda Lúcia Gomes Monteiro e tem financiamento do conselho nacional de pesquisa, CnPq. O projeto envolve diversos pesquisadores da UFPR, UFRGS, UEL, Embrapa Bagé e acadêmicos de graduação e Pós-Graduação da UFPR.

A pesquisa pretende avaliar dois programas alimentares que resultaram em maior produtividade e rentabilidade nas pesquisas realizadas em Curitiba-PR, nas regiões Centro-Sul e Norte do Estado, utilizando pastagens de inverno (Centro-Sul) e pastagens de verão (Norte). Objetiva-se verificar se os mesmos sistemas poderão ser recomendados em outras situações edafoclimáticas e sócio-econômicas do Estado.

O modelo produtivo adotado pelos associados das Cooperativas é muito diverso, não havendo acompanhamento de dados de produtividade e resultado econômico das atividades. Outra das dificuldades apontadas pela Presidência das Cooperativas é referente ao procedimento final do negócio, dentro dos abatedouros, no que se refere a escassez de recurso humano com adequado treinamento para a avaliação final dos animais entregues para o abate, tendo como consequência a redução na qualidade do produto comercializável, por falta de padronização. Além disso, há limitações quanto à manutenção da oferta do produto em qualidade e quantidade, no decorrer do ano. Esta carência é influenciada em parte pela estacionalidade reprodutiva dos ovinos na região Sul do Brasil, mas também é influenciada pelo sistema de produção utilizado na criação e terminação dos cordeiros, muitas vezes inadequado para o bom desempenho dos animais, ou para a distribuição dos mesmos em maior período do ano, ou ainda oneroso o suficiente para inviabilizar a atividade.

O objetivo maior dessa proposta é encontrar caminhos para a manutenção da atividade ovinocultura de corte. Através da implantação dos sistemas nas propriedades cooperadas, isso possibilitará o estudo da rentabilidade dos sistemas locais, possibilitando ao produtor encontrar a escala de produção de maior viabilidade econômica para ele. O projeto possibilitará também a avaliação do reflexo que estes sistemas têm sobre aspectos da qualidade do produto final, importante para a sustentabilidade do negócio, uma vez que envolve a forma de remuneração dos produtores e implica na aceitabilidade do produto pelo mercado local. O segundo foco importante é o treinamento de técnicos, que acompanham a chegada e a avaliação dos animais nos abatedouros, o que contribuirá efetivamente no sucesso do negócio.

As informações são da UFPR, adaptadas pela Equipe FarmPoint.

Avalie esse conteúdo: (e seja o primeiro a avaliar!)

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade