Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Leitor comenta sobre rentabilidade da criação de ovinos

postado em 09/10/2012

27 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O presidente do Núcleo de Criadores de Caprinos e Ovinos das Regiões dos Campos das Vertentes e Zona da Mata (NUCCORTE) e ovinocultor, Luciano Piovesan Leme, de Barbacena/MG, enviou um comentário para a enquete proposta pelo FarmPoint: Ovinocaprinocultura: atividade rentável? Abaixo, leia o comentário na íntegra:

"Certamente este é um tema bastante controverso junto aos criadores por diversas razões:

1) Não é hábito entre a grande maioria dos criadores realizar uma contabilidade real e confiável que lhe permita conhecer seus custos de produção. Dessa forma, se não temos os custos na "ponta do lápis" não temos como indicar a rentabilidade do nosso negócio;

2) Certamente a escala de produção é um fator importante, entretanto a possibilidade de que o produtor esteja associado ou cooperado a uma entidade aglutinadora pode também determinar sua rentabilidade independente de seu tamanho na atividade, permitindo desta forma a viabilidade do negócio;

3) O mercado comprador necessita de regularidade de entrega e de cordeiros padronizados (peso vivo entre 35-42 quilos, idade média de 145 dias), desta forma é necessário que o criador conheça sua atividade, programe sua produção, possua estrutura de alimentação e instalações adequadas ao tamanho e necessidade do rebanho, assim é preciso profissionalismo.

4) Também é fundamental escolher raças que, aliadas ao manejo nutricional e sanitário, possam exprimir seu potencial de produção de carnes com bom peso ao nascimento (3,5-5 kgs), bom peso ao desmame (20-25 kgs. aos 90 dias) e ganho de peso diário (280 a 330 grs./dia) que possam chegar aos 145-150 dias de idade com peso vivo médio de 35-42 kgs. prontos para o abate.

Atendidos os quesitos acima descritos, tenho absoluta certeza na rentabilidade da atividade de ovinocultura, com excelentes resultados aos criadores. Vamos ampliar o debate e esperamos que a atuação profissional na atividade faça do Brasil uma referência mundial na produção de ovinos de corte.


Participe você também deixando o seu comentário!

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 09/10/2012

Luciano

Em minha opinião o grilo maior da oferta de cordeiros é a regularidade da oferta, facil de ser programada e difícil de ser realizada.
Sabemos que para progamarmos 2 periodos de monta teremos de ter praticamente 2 rebanhos na propriedade, se progamarmos 4 periodos teremos de ter 4 rebanhos. Ora se de uma maneira geral ele maneja mal 1 como vai manejar 2 ou mais.
Esse é só um quesito entre vários que a cooperativa estabeleceu que o Zé vai produzir na época das águas e o João no período seco, então os custos de produção são totalmente diferentes e ai.
Tudo é muito complexo, podemos conversar mais.

gabriel silva alves

São Sebastião do Passé - Bahia - Produção de leite
postado em 09/10/2012

Concordo com você, inclusive a falta de curso é o grande problema, por exemplo aqui em salvador/ba já procurei saber no raio de 100km onde consigo oferecer cursos para meu cuidador!?Resultado não existe,pior de tudo que muito deles se muito têm é o 1° grau, Ou seja ele so escuta do proprietario que têm que fazer isso e aquilo,mais sabemos que nem tudo acontece como orientamos, sempre querem fazer do jeito deles e ainda quando você muda de rebanho piora por exemplo bovinos x ovinos e por aí vai.
O nosso grande problema hoje é manejo, e a ACCOBA precisa oferecer cursos práticos e diminuir custos para se associar-se, por exemplo diferenciar o preço para expositores e criadores.

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 10/10/2012

Sergio
Esse mercado através do atravessador é dificil. O produtos pequeno para vender um animal, tem que levar esse animal para a cidade, então para fre doi cordeiro e sua passagem. Na cidade ele precisa almoçar e para voltar para casa paga a passagem de volta. E ainda perde o seu dia de serviço na fazenda.
Ora o atravessador compra na sua porta e ainda deixa acertada a proxima visita;
Esse problema é facil de resolver no papel, mais na prática é muito dificil

Alexis Reyes

Punta del Este - Maldonado - Uruguai - Produção de ovinos
postado em 10/10/2012

Em termos Gerais : Para pequenos produtores:
1) E primordial capacitacao produtiva(Tecnica), jà que pelo seu tamanho produtivo, vai ser ele que estarà em cima da sua cadeia produtiva.  2) Capacitacao em negocios.TEM QUE SER UM EMPRESARIO !! Sem nehuma vergonha de ser..e sem se sentir ridiculo por isso, pelo tamanho ..Grandes negocios , nascem pequenos!! Se o produtor achar que esta velho, entao incentive um dos seus filhos..isso vai ainda, a lograr algo muito procurado e bom para a sociedade(E tambèm para nos..pais)..a Nao Disgreagacao Familiar
3) Por ùltimo..procurar a morte SINERGIA E COOPERATIVISMO REAL, na sua regiao. Nao Inveja..Nao competencia..nao individualismo..COMPLEMENTACAO.

Para Produtores de maior escala:
1) Nao continuar se Queixando, da falta ou baixa capacidade de mao de obra qualificada. Ê o empresario que tem que tomar a iniciativa, e nao seguir esperando nada dos Governos. Primero lubrificamos os nossos conhecimentos, e depois preparamos e escolhemos bem o nosso pesoal. E o bom saber...o que se economiza em salario, se perde em efetividade. A qualidade humana e profissional dos colaboradores, E LUCRO!!
2)SEMPRE tem uma modalidade diferente de producao e comercializacao(Brain Storming PERMANENTE)
3) Nem sempre a Industria Frigorifica è um inimigo. Nao Competir com os frigorificos. Seja um aliado. Use sua capacidade. Amplie seu coonhecimento e comunicao. Negociacao..negociacao..negociacao
4) No rebanho...genetica, sanidade, alimentacao...alimentacao...alimentaçao

Nossos Comprimentos a todos, e muita força para o setor. Brasil tem tudo o que tem que ter para ser um gigante nesse rubro

MDC Group / Uruguay
Asesoramentos/Desarrolhos/Investimentos Agropecuarios

Para Prod

Marcos Vinicius Grein

Balsas - Maranhão - Consultoria/extensão rural
postado em 10/10/2012

Quando se está um pouco mais longe do mercado consumidor, como eu, torna-se impossível a sustentabilidade da ovinocultura. Compete-se com animais sem nenhuma qualidade e o que manda é apenas o preço. Tem-se um nicho de mercado muito pequeno, feito de tradicionais apreciadores da carne ovina, mas que não sustenta a produção do médio e grande produtor.

Alexis Reyes

Punta del Este - Maldonado - Uruguai - Emprendimentos Ovinos/ Carnes e sub produtos
postado em 10/10/2012

Oi Marcos. E comprensível a tua posicao, mais ...olha no que meu comentario acima. Em Produtores de maior ecala, no Paso 2.
Sempre tem alternativas
Tenho um amigo, que estaba em condicaoes semelhantes a sua.
Ele mudou parte de sua atividade de producir carne, para a ovinocultura de leite, e hoje, está fabricando e exportando queijosde alta gama para Dubai, com precos muitos boms
E nao abandonou a producao de carne

Meus comprimentos , e muito sucesso no teu negocio

MDC Group / Uruguay
Asesoramentos / Desarrolhos / Investimentos Agropecuarios
lambandwine@adinet.com.uy  

Wilson Ashidani

Madre de Deus de Minas - Minas Gerais - Cereais, reflorestamento e ovinocultura corte
postado em 10/10/2012

Interessante essa idéia citada pelo Alexis... pode haver um sinergismo entre as atividades leite/carne pois muito do resultado do rebanho pra carne se deve à uma boa amamentação do cordeiro (matrizes boa de leite).
A questão é encontrar uma raça que tenha essa dupla aptidão e que seja adaptada ao clima de cada região.

gabriel silva alves

São Sebastião do Passé - Bahia - Produção de leite
postado em 10/10/2012


Alexis, quando tem recurso capital é otimo tudo são flores tudo é lindo, se não está bom aqui vamos para outro caminho, se o fomoso"pião" não vai bem, troca coloca outro e por aí vai, quando você fala de pequeno e médio produtor isso é super complicado e dificil de acontecer.
Mais acredito que focar em algo é super importante, seu amigo mudou parte da sua atividade por conta de recursos, fico feliz.
Mais não quando você trabalha com rebanho de carne ex tradicional santa inês x dorpler sabemos que esse cruzamente para leite não é tão bom, fora que aqui no nordeste de acordo com pesquisa têm o maior numero de animais, consequentemente maior numero de doenças e etc, um caso disso é a LC.

Paulo Guimarães

Salvador - Bahia - OUTRA
postado em 10/10/2012

O que realmente percebemos nesta atividade é a falta de  união dos produtores. Esta união seria uma grande ferramenta para alcançarmos melhores preços e melhorias em geral para todo. Outros pontos a serem destacados também, em relação a produtor,  seriam:
-  a importante visão do empreendedor em enxergar nas dificuldades uma oportunidade,
-  uma constante melhora nos processos, controles, manejos, etc...
Um conjunto de atributos garantirá o sucesso do negócio.
Com muito otimismo no negócio, sucesso a todos!!!
Paulo Guimarães

Fernando Cela Pinto

Sobral - Ceará - Produção de leite
postado em 11/10/2012

Prezados,

Estou no semiárido brasileiro e me preocupa muito essa "padronização" a que se refere o artigo. Sabemos que nossas raças nativas, que tem alto grau de adaptação ao ambiente, não conseguem esse desempenho. O que o mercado quer e precisa é de carne de boa qualidade. Assim animais de raças nativas pesando 26kg aos 160 dias, são tão bons quanto os que pesem 38kg aos 150 dias. Com algumas vantagens: menor custo de produção e carne com menos gordura.
Também concordo com a observação de que o que falta é a organização da cadeia produtiva.

Luciano Piovesan Leme

Barbacena - Minas Gerais - OUTRA
postado em 11/10/2012

Prezados criadores,

Pelo que vemos nos comentários acima parece que estamos com "excesso de fartura", ou seja, "farta tudo": falta cooperação, falta mão-de-obra, falta dinheiro, falta mercado, mas na realidade o que falta é coragem de trocar 04 sacos de preguiça por um saco de coragem e fazer acontecer. Temos que ter foco, saber onde estamos e onde queremos chegar e fazer acontecer. Hoje temos tecnologia, temos genética, alimentação fazemos em casa (é o mínimo), podemos organizar as instalações e o rebanho de forma "modular" e definir estratégias que nos levam ao sucesso prentendido.
O importante é começar do zero, ter um bom controle de custos, planejar a atividade, planejar rebanho e instalações. Recursos existem e muitos: por exemplo no Plano Safra 2012/2013 na linha Moderagro existe uma linha para médios e grandes produtores com financiamento de até R$600 mil, prazo de 12 anos, carência de 03 anos, juros de 5,5% ao ano, porém antes de tomar o recurso temos que ter PLANEJAMENTO. Aqueles que se enquadram no PRONAF aí é mais fácil ainda, juros máximo de 2% ao ano.
Então se temos genética disponível, recursos disponíveis, terra, tecnologia dominada nos falta é CORAGEM de fazer acontecer de forma eficiente e eficaz.
Não há nenhum outro país no mundo com as condições do Brasil para fazer da ovinocultura a melhor e mais rentável atividade pecuária, é preciso acontecer.
Vamos em frente criadores, como dizia Geraldo Vandré: "vem vamos embora que esperar não é fazer, quem sabe faz a hora não espera acontecer"
Abraços,

Luciano Piovesan Leme
Ovinocultor / Zootecnista
Presidente do NUCCORTE (Barbacena_MG)

Alexis Reyes

Punta del Este - Maldonado - Uruguai - Emprendimentos Ovinos/ Carnes e sub produtos
postado em 11/10/2012

Parabéms Luciano...Otimo!!
E isso...Pode ser por financamento, ou qualquer outro meio... Nao importa o vehículo...O que realmente importa, é o emprendedor.
A espada nao mata niguém sem o guerreiro.

Desde aqui ..Uruguai, já temos dito muitas veces, que Vcs estao encima de um jato, falando da ovinocultura  E a Vcs a obrigacao de por a voar, e dirigi lo.
. Ate pode parecer contraditorio, que um uruguaio diga isso ...mais que os nossos paises crescam juntos, vai ser bom para todos.  Mas tem que haver COOPERACAO, nao competencia.  Tem espaco e mercado para todos. Como falei, o dinheiro, nao pode ser a unica meta
Nao pode ser, que um pais como Uruguai, mais pequeno que oestado de RS, e grudado ao Brasil, seja o principal fornecedor dos que deberiam ser, vossos clientes!!

Meris Sant Ana

Cuiabá - Mato Grosso - Consultoria/extensão rural
postado em 13/10/2012

Concordo com os que disseram que precisamos nos organizar, trocar experiencia entre estados, buscar e fazer acontecer.
Em Mato Grosso segundo dados da FAMATO- Federação da Agricultura e Pecuária de Mato grosso, "a o,vinocultura de corte está se tornando uma atividade cada vez mais atraente em Mato Grosso. O estado possui um rebanho de 1,4 milhões de cabeças, de acordo com dados do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado Mato Grosso (Indea), e cresce a uma taxa de 27% ao ano, respondendo por cerca de 11% do rebanho nacional, que é de 17 milhões de animais".
O que mais precisamos senão Planejamento das ações, integração e cooperação?

Luiz Fernando Oliveira Santos

São Tiago - Minas Gerais - Produção de ovinos de corte
postado em 14/10/2012

Luciano tudo joia, possuo uma propriedade em São Tiago MG que fica próximo a Barbacena, estou interessado em começar a criar ovinos. Se possivel me passe seu e-mail para podermos conversar melhor.
Obrigado

Luciano Piovesan Leme

Barbacena - Minas Gerais - OUTRA
postado em 15/10/2012

Prezado Luiz Fernando - São Tiago (MG),

Meu email de contato é: sitiosaojoseovinos@gmail.com

Estou à dua disposição.
Atenciosamente,

Luciano Piovesan Leme
Zootecnista / Ovinocultor
Presidente do NUCCORTE

adolfo caldas freire jr

Salvador - Bahia - Produção de caprinos de corte
postado em 17/10/2012

È verdade Gabriel Alves de São Sebastião do Passé, aqui nesta pocilga de estado não acontece nada, como dia de campo,cursos,etc.Leio vários cursosem São Paulo,Ceará,etc.Aqui a ACCOBA não promove nada

gabriel silva alves

São Sebastião do Passé - Bahia - Produção de leite
postado em 17/10/2012

pois é, o mais engraçado que companheiros (fiz igual a dr. lula agora) nosso do farm point, acha que culpa é só nossa,  a accoba pra mim deveria se mobilizar mais, coloca uma politica de associados para pequenos medios e grande produtor em fim á varios meios de ajudar  e insentivar nosso bahia, não adianta colocar dinheiro na mão de uma pessoa onde ela tenha embasamento, sou administrador consegui recurso do BNB, mais tenho um rebanho de 16 cabeças e 2 reprodutores e digo, passo algum aperto sim.
Os cursos que disponibilização encontram-se na CPT E IEAPAC, aí pergunto: Será que um vaqueiro ou cuidador vai conseguir aprender algo só olhando nos videos??Ah esqueci da apostila, mais será que ele sabe ler!?
Abraço

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 17/10/2012

Adolfo Caldas Freire Jr.

Existe no Ceará a ACCOCE e O CUBE DO BEROOentidades semelhantes a ACCOBA , e a s queixas dos produtores são semelhantes as suas. O fato Adolfo é que aquí no Ceará essas entidades congregam em sua maioria tores que trabalham com genética e outros que são ovinocultores por hoby, ficando os produtores principalmente os pequenos fora dos seus propósitos. Pode ter certeza que para seus associados a ACCOBA é eficiente. Me mande o seu email.

Pedro Alberto Carneiro Mendes

Fortaleza - Ceará - Consultoria/extensão rural
postado em 17/10/2012

Caro Gabriel

Acho que voce esta sendo muito rigoroso com o Farmpoint, ele até ajuda permitindo comentários dos mais variados sobre a ovinocultura. Com relação a ACCOBA leia meu comentário endereçado ao Adolfo. Me mande o seu email para trocarmos ideias

Robson Helen da Silva

Barbacena - Minas Gerais - Instituições governamentais
postado em 17/10/2012

Bem, estou acompanhando as discussões e logicamente as valiosas contribuições de todos os envolvidos. Estamos aqui no Instituto Federal de Educação e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais - Barbacena e aproveito para registrar o esforço contínuo do amigo Luciano Piovesam Leme na tentativa de alavancar a atividade no município e região. Parabéns.

ailton batista alves

Contagem - Minas Gerais - Produção de leite
postado em 25/01/2013

Ailton  Batista Alves.
Comercinho -Minas Gerais
É muito bom ler esses comentários.Parabens ao  AGRIPOINT. Que nos da oportunidade dessa  aproveitosa comunicação.Sou um pequeno produtor.com uma área de 120 ha .chove pouco media de 700 a 900 ml por ano.Dai abrir um poço  semi arteziano que está com 25.000 (vinte e cinco mil lts por hora) para molhar 5 ha em piquet rotativo para gado de leite.E nunca saiu de minha cabeça de começar uma criação de ouvinos. Aí é que vou buscar todas informaçôes com vocês.Parabens  aos comenteristas.
Ailton batista

Francisco Expedito Martins Moura

Valença do Piauí - Piauí - Ovinos/Caprinos
postado em 10/03/2013


Estou feliz com todos esses comentarios, uns com queixas, outros com entusiasmos e uotros com soluções; pois bem tenho uma pequena criação de ovinos no interior do Piaui, em Colonia do Piaui e com essas mesmas preocupações, com esses mesmos problemas de voces, então resolvi convidar um grupo de produtores da região para criamos O NUCLEO DE PRODUTORES NO AGRONEGOIO DO SEME ARIDO para, juntos, podermos contratar um tevnico competente para nos preparar para a atividade, desde a orientação da raça, sanidade, preparação e adequação de pastagem, mineralização, acomodação, abate e comercialização, pois acreditamos que os pequenos precisam se juntarem para poderem competir e ter lucratividade na atividade.
portanto, amigos, acreditamos  que só teremos progresso, unidos.
uma abraço e sucesso pra todos.
Expedito Martins
E.T. gostaria de ter o contato com Alexis Reyes e com todos que quizerem trocar experiencia.

Geraldo Barbosa Junior

Carandaí - Minas Gerais - Produção de ovinos de corte
postado em 19/06/2013

O que a ovinocultura precisa mesmo é de pelo menos meia dúzia de"Luciano Piovesan"
quem conhece seu trabalho sabe o que eu estou dizendo.

Alexis Reyes

Punta del Este - Maldonado - Uruguai - Emprendimentos Ovinos/ Carnes e sub produtos
postado em 20/06/2013

Sr Francisco Martin Moura, de Valença do Piauì.
Sera um prazer estar em contato com Vcs. Desde Uruguay a vossa disposiçao, :  lambandwine@adinet.com.uy  /  Fone: 00598 98375268
Meus comprimentos

Francisco Expedito Martins Moura

Valença do Piauí - Piauí - Ovinos/Caprinos
postado em 24/06/2013

Expedito Martins
Valença do Piaui e Colonia do Piaui-Piaui - ovinocultura de corte

Quero cumprimentar os companheiros produtores pelas teses defendidas sobre a ovinocaprinocultura. Minha posição não difere da de voces embora esteja em uma região de diferente condição climatologica como o sul do pais e ate mesmo no Uruguai do Sr. Alexis Reyes. Todos os fatores problematicos que foram citados são comuns em todas as Regiões portanto limitantes para o sucesso na atividade. Tenho observado que para se produzir bem precisa-se de RAÇA, SANIDADE, MINERALIZAÇÃO, ACOMODAÇÃO E ALIMENTO, mas so funciona com capacidade gerencial o que se resume em PROFISSIONALIZAR O SETOR, como ja me posicionei anteriormente em março, contudo, estou feliz de ser um pequeno produtor pois acredito na viabilidade da atividade e sei que crescerei a medida que for isolando os pontos fracos e avivando os fortes, como  capacitação de todos envolvidos na labuta e  assistencia tecnica presnete na fazenda, o quer dizer PROFISSIONALIZAR O NEGOCIO, o mercado esta carente esperando o nosso produto, AVANTE PRODUTORES VAMOS BOTAR CARNE BOA NO MERCADO E SERMOS FELIZES

wesley

Buenópolis - Minas Gerais - Produção de ovinos de corte
postado em 07/08/2013

não tenho aonde vender. por favor indique um lugar em Minas.

Paulo Guimarães

Salvador - Bahia - OUTRA
postado em 08/08/2013

Veja o projeto da VPJ , talvez tenha algo interessante para vc. O mercado de São Paulo precisa muito de carne de ovino de qualidade, tem muitos frigoríficos . Tem que dar uma pesquisada também. Marfrig... dentre outros...

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade