Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

AL: construção do frigorífico de ovinos e caprinos no Sertão entra na fase final

postado em 22/05/2014

13 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

As obras do Frigorífico de Ovinos e Caprinos de Delmiro Gouveia entra em fase de conclusão. Com investimento de aproximadamente R$ 500 mil, oriundos do Ministério de Desenvolvimento Agrário (MDA), o frigorífico é o primeiro da região e deve beneficiar diretamente 600 criadores da Cooperativa dos Agricultores Familiares de Delmiro Gouveia (Coofadel), inseridos no Arranjo Produtivo Local (APL) Ovinocaprinocultura no Sertão.

Segundo o gestor do APL, Reginaldo Guedes, o frigorífico comportará entre 30 a 40 animais, e será especializado em cortes especiais. A produção contará com todas as certificações de segurança alimentar. “O que antes era uma atividade informal, onde as carnes dos animais eram vendidas em feiras livres, hoje será totalmente formalizada, seguindo as exigências da Vigilância Sanitária”, explica.

Após a conclusão da lagoa de decantação, que servirá para o tratamento dos resíduos dos cortes especiais, os equipamentos serão montados e uma série de testes será executada para garantir o perfeito funcionamento do local. “Todo o material já foi adquirido e estão guardados à espera da montagem. Depois de inaugurado, o frigorífico vai gerar cerca de 30 empregos diretos e indiretos”, afirma.

A administração do empreendimento será da Coofadel, que conta com a parceria das Secretarias de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e Agricultura e Desenvolvimento Agrário (Seagri); Sebrae; Senai, Agência de Defesa e Inspeção Agropecuária de Alagoas (Adeal), Prefeitura de Delmiro Gouveia, Banco do Brasil e Fundação Branco do Brasil.

As informações são do Portal Alagoas 24h, adaptadas pela Equipe FarmPoint.
 

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

vanderlan gonçalves dos santos

Senador Pompeu - Ceará - Produção de ovinos de corte
postado em 23/05/2014

Muito boa iniciativa precisamos profissionalizar cada vez mais esta atividade , tão vital para o sertanejo e o sertão .

Walderi Francisco de Carvalho OLiveira

Palmas - Tocantins - Produção de ovinos de corte
postado em 26/05/2014

É bastante animadora a notícia de instalação de frigorífico destinado ao abate de ovinos e caprinos na região nordeste. Em que pese os intempéries climáticos a região oferece enorme potencial para o desenvolvimento da atividade, necessitando de ações dessa natureza e outras que possam despertar o manejo profissional da atividade, que apesar de alguns avanços ainda carece de melhoras.

Fabio Francisco da Silva

Atalaia - Alagoas - Estudante
postado em 26/05/2014

Fantástica iniciativa, espero poder fazer poder fazer parte desta equipe, hahai, espero tbm q essa seja a 1ª d muitas outras iniciativas voltada à Ovinocaprinocultura no nordeste, uma área carente d tecnologias, mas extrema importância para o sertão.

Roberto

OUTRA - Pernambuco - OUTRA
postado em 26/05/2014

Não entendo! O MDA financia um frigorífico de caprinos e ovinos! E os que existem, montados com SIF , sem funcionar? Sei não ta tudo errado mesmo!

paulo decio damasceno

Maceio - Alagoas - Ovinos/Caprinos
postado em 26/05/2014

Boa iniciativa. Podia servir de exemplo para instalarmos também em Santana do Ipanema.

André Medeiros

Quixadá - Ceará - Produção de caprinos de leite
postado em 26/05/2014

Boa noite pessoal.
Acredito muito na ovinocaprinocultura,sou um pequeno criador e considero que a profissionalização da atividade é mais que necessária, é fundamental para a sua sobrevivência. Entretanto vejo com muita tristeza uma notícia dessas pois sobram frigoríficos especializados ociosos. Falta constância de produção. Começando do final não se vai a lugar nenhum. Deveria ser proibido o financiamento público de mais abatedouros.
Respeito demais todos os pontos de vistas mas o meu, sinceramente é esse.

Abraço

Roberis Ribeiro da Silva

Salvador - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 26/05/2014

Olá Roberto. E percebam que Alagoas ainda não poderá exportar para nenhum estado do Brasil exceto alguns do nordeste pois o mesmo ainda não tem o status de livre de aftosa com vacinação. Ou já tem e estou enganado. Enfim, de qualquer maneira a ideia é ótima pois os alagoanos terão uma inspecionada e com qualidade parabéns.

REINALDO PASSOS DA MOTA

Paulista - Pernambuco - Indústria de insumos para a produção
postado em 27/05/2014

Aplaudo calorosamente esta iniciativa, e qualquer outra que incentive a ovino caprino cultura no Brasil, especialmente no nordeste. Sou fabricante de Bebedouros e Saleiros (marca TROFÉU), e sofro como todos os criadores nordestinos as agruras da sêca prolongada que nos afeta.Precisamos estimular esta pecuaria, ampliar os planteis, e por para funcionar os abatedouros que estejam parados. Desculpem-me, mas praguejar e reclamar não trazem progresso; este só vem com trabalho e boa vontade.
Vamos aproveitar a Exposição deste final de ano em Pernambuco, onde ocorrerão simultaneamente treis Exposições Nacionais. Momento de dar um salto para o futuro!
Obrigado pela oportunidade de me manifestar.

Walderi Francisco de Carvalho OLiveira

Palmas - Tocantins - Produção de ovinos de corte
postado em 27/05/2014

Desconheço a existência de frigorífico instalado para o abate de ovinos e caprinos, no nordeste brasileiro, que se encontre inativo. Porém, se existe, conforme registrado em comentário feito pelo Sr. Roberto, com certeza precisa-se de atuação que possa revelar os motivos e reverter essa situação. Sabe-se que a histórica desorganização do setor da ovinocultura pode ser um dos fatores, dentre tantos outros, que contribui para o fracasso da atividade, contudo, na atualidade são visíveis os investimentos no setor, assim como são notórios os resultados deles decorrentes, de sorte que para aqueles que queiram trabalhar nesse mercado, que é relativamente novo, mas em franco crescimento, tenham por certo que em menos tempo do que se imagina a carne de cordeiro será mais consumida do a carne de frango.

josé assenção das neves sobrinho

Teresina - Piauí - Médico Veterinário
postado em 02/06/2014

Investimento dessa natureza é louvável precisamos crescer a qualidade e quantidade da ovinocaprinocultura do pais e distribuir na merenda escolar as carnes e seus derivados para nossas crianças cresçam e esqueçam as DROGAS.  

josé Carlos Rodrigues da Luz

Serra Talhada - Pernambuco - Consultoria/extensão rural
postado em 15/06/2014

JOSÉ CARLOS RODRIGUES DA LUZ - SÃO JOSÉ DO BELMONTE-PE.
ZOOTECNIA-técnico - em SERRA TALHADA -PE.
Olá Srs. leitores, gestores e políticos ativos nesta cadeia produtiva e promissora que é a caprino e ovino-cultura  ! Como Técnico em Zootecnia, formado no SemiÁrido-CENTRO  TECNOLÓGICO  DO PAJEÚ- Serra Talhada/PERNAMBUCO- Nordeste do Brasil, tenho observado  que  tudo que os Gestores Estaduais  e Municipais  de todo o Nordeste (se intencional , não sei)  fazem um complô contra o livre desenvolvimento desta cadeia produtiva nascida no próprio Nordeste através  de construções caríssimas de pequenos abatedouros  com o amparo do SIE-serviço de Inspeção Estadual , fechando assim as porteiras para a comercialização  da produção com os demais Estados e Municípios vizinhos, comercializando os produtos apenas  no seu Estado (ex. este de Alagoas) . Com o ampara da cadeia de Gestão de Arranjos Produtivos Local -APL, extraem-se grandes verbas de Instituições Financeiras a juros baixissimos e até a fundo perdido do Governo Federal para  não ir a lugar algum além de suas próprias fronteiras.  Com os Municípios nem se fala  pois, os abatedouros são piores do que  lixões  de pequenas cidades. Enquanto que  o Sul e Sudeste investem seguramente em instalações com apoio do SIF-Serviço de Inspeção Federal  e, poderão  vender sua produção para todo o Brasil (inclusive para o Nordeste) e também para a exportação e isto, usando as mesmas verbas e investimentos. A grande diferença é a de que os gestores dos Estados e Municípios se unem e tomam a mesma direção para o sucesso econômico e Social de suas regiões utilizando muito bem os seus recursos naturais e próprios somados à grande força de trabalho  que é o maior capital humano. Pensem nisto  para melhor decisão Econômica Senhores Gestores do Nordeste Brasileiro   só assim deixaremos de ser visto como pobres , burros e miseráveis , o que  sabemos não ser , porém, só os senhores é que  querem fazer parecer para receber mais esmola do do Governo Federal e  do Mundo . Vamos mudar  ? . Isto é possível !!!!  Forte abraço  e votos de BOA FÉ  A TODOS NÓS  NORDESTINOS!!!

josé assenção das neves sobrinho

Teresina - Piauí - Médico Veterinário
postado em 16/06/2014

A caprinovinocultura  precisa andar mais rapidamente  primeiro criando as leis, hoje temos como presidente da câmara nacional do caprinovinocultura o presidente da ARCO ESPERAMOS QUE AGORA SAIA AS LEIS. obrigado Neves

josé ricardo barreto da fonseca

Salvador - Bahia - Consultoria/extensão rural
postado em 11/07/2014

Está iniciativa já chego tarde, mas sempre é cedo para iniciar e permitir a máxima agregação de valor, todavia, reitero a necessidade de trabalhar do portão para fora, especificamente na organização da produção e conscientização dos criadores, autoridades e direção da cooperativa, pois não deve ocorrer o que aconteceu em Batalha com a Cooperativa de leite. Boa sorte e que viva por muito tempo.

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2020 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade