Fechar
Receba nossa newsletter

É só se cadastrar! Você recebe em primeira mão os links para todo o conteúdo publicado, além de outras novidades, diretamente em seu e-mail. E é de graça.

Ivan Saul comenta sobre os novos produtores de ovinos

postado em 22/10/2010

3 comentários
Aumentar tamanho do texto Diminuir tamanho do texto Imprimir conteúdo da página

 

O produtor de ovinos e proprietário da Granja Po'A Porã, Ivan Saul, de São José dos Pinhais, Paraná, enviou um comentário ao artigo "Idade de desmame. Confira a opinião dos produtores". Abaixo leia a carta na íntegra.

"Caros colegas.

Tenho a convicção de que nossas postagens sobre os temas que o FarmPoint, afortunadamente, nos propõe abordar têm o dever de elucidar as dúvidas dos iniciantes na ovinocultura. Aqueles que são o alvo predileto das "receitas mágicas" para a solução dos problemas cotidianos e peculiares à atividade.

Quando nos animamos a expressar nossas opiniões é porque temos, ou pensamos ter, alguma experiência ou conhecimento sobre o assunto em pauta. Resta lembrarmos que a internet, por alcançar todos os públicos, é uma ferramenta poderosa e, como tal, deve ser manejada com cuidado. Aos leitores - "Recomenda-se discernimento!"

Ovinocultores muito experientes, via de regra, são (ou foram) proprietários de grandes rebanhos sob condições de manejo extensivas e sobre grandes áreas de pastejo. A ovelha é extremamente generosa mediante o pouco que recebe nessas condições. Não sei como é na Região Nordeste, no Sul, alguns produtores de ovinos de lã que sobreviveram na atividade podem comemorar ao atingir taxas de assinalação de 70%, ou seja, desmamam, descolam e marcam 350 cordeiros (machos e fêmeas) com 5 meses de idade de 500 ovelhas encarneiradas. De forma dolorosa se aprendeu que o rebanho recompensa com alta eficiência e rapidamente aos investimentos, porém, o mercado é extremamente ingrato ao remunerar estas iniciativas o que forçou a notável redução dos rebanhos com muitos produtores encerrando suas atividades. Assim foi com a lã, assim poderá ser com a carne.

Uma grande parcela dos ovinos de carne é produzida por gente nova na atividade que viu uma oportunidade de fazer dinheiro em cima de seus sítios de lazer ou granjas leiteiras, de aves ou suínos que não remuneram o capital investido. Boa parte se iludiu ao assistir pela televisão a imagem falsa de uma atividade altamente rentável, resultante da atuação de "marketeiros" mais comprometidos com a atividade comercial do que com a própria ovinocultura.

Para quem tenta sobreviver "criando ovelha", embora possa ter sido útil, o "boom da ovinocultura", é válido, legítimo e legal mas não é justo!

Acredito que é à esta gente nova que devemos nos dirigir, àqueles que já comprometeram tanto de suas vidas e finanças que agora não podem desistir, à eles devemos dedicar nossos esforços de transmissão de conhecimentos e experiências, e mais, deles pode sobrevir a redenção da atividade.

Assim sendo, penso que é muito importante que este, e todos os outros temas relacionados diretamente aos animais, sejam aprofundados, tendo em vista seus efeitos potenciais sobre os novos criadores.

Saudações ovelheiras."

Clique aqui para ler mais opiniões sobre este assunto.

Avalie esse conteúdo: (5 estrelas)

Comentários

Julio Erasmo Reich

Querência - Mato Grosso - Produtor de ovinos
postado em 24/10/2010

Concordo com suas palavras Ivan. Abs,

ivan claudio de figueiredo

Pocrane - Minas Gerais - Produção de ovinos
postado em 26/10/2010

Vejo em suas palavras anos de luta que deve ter tido em função de uma atividade que outrora fosse ingrata no que tange a remuneração ao produto ofertado, concordo também que a mídia e a propaganda é uma forte interlocutora em diversos campos e nunca trás pra si a responsabilidade de uma eventual estagnação do setor, mas infelizmente ou felizmente o produtor seja ele já estabilizado ou iniciante no setor tende sempre a ser insistente e perseguidor de seus objetivos, dai vale no meu entender mais a questão do desafio ou da paixão e nem tanto da remuneração, podemos observar isto na ingrata atividade leiteira, se quiseres ser um empresário e não apenas mais um tirador de leite cheio de altos e baixos, deves investir, investir e investir, genética de ponta, alimentação, estruturas enfim e o retorno e o preço pago pelo litro do leite é igual pra todos e ainda muito baixo e ficamos refens dos laticínios mas nunca deixamos a atividade e investimos, assim acredito que a força atual da ovinocultura esta principalmente ligada ao fato de que pequenos proprietários que possuem até 50 ha não veêm outra alternativa a não ser as criações de pequenos ruminantes, aves e suinos e no meu ponto de vista isso é lovável uma vez que as pequenas propriedades não podem nem devem ficar ociosas, assim insisto a remuneração em nenhum setor é extraordinária no país, pelo menos para a maioria da população e assim dos produtores, a bovinocultura de corte só da resultados para grandes pecuaristas assim como a bovinocultura leiteira, então sou completamente a favor de opções e vejo na carne de pequenos ruminantes um futuro se não promissor que sejas pelo menos continuado assim como a carne bovina, mas disto depende do esforço maior dos produtores deste tipo de proteina em popularizar tal alimento e pra isso precisamos de políticas efetivas do setor e quando a carne for pupularizada estaremos então num patamar estável por muitos e muitos anos....não sou produtor de ovinos, alias pesquiso uma atividade pelo menos prazerosa para minha propriedade de 50 ha e enxergo neste setor uma luz para minha satisfação.

Ivan Saul

São José dos Pinhais - Paraná - Produção de ovinos
postado em 26/10/2010

Caro Reich.

Agradeço teu apoio, e me coloco à tua disposição por aqui.

Obrigado... Um abraço... Ivan

Quer receber os próximos comentários desse artigo em seu e-mail?

Receber os próximos comentários em meu e-mail

Envie seu comentário:

3000 caracteres restantes


Enviar comentário
Todos os comentários são moderados pela equipe FarmPoint, e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva dos leitores. Contamos com sua colaboração. Obrigado.

Copyright © 2000 - 2019 AgriPoint - Serviços de Informação para o Agronegócio. - Todos os direitos reservados

O conteúdo deste site não pode ser copiado, reproduzido ou transmitido sem o consentimento expresso da AgriPoint.

Consulte nossa Política de privacidade